HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
AEROSOL, MESMO DEVOLVIDO PROVOU SER CRAQUE: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO
ONDE A VELOCIDADE IMPERA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA
HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA: VENCEDORES INTERNACIONAIS EM TRÊS CONTINENTES

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

sábado, 17 de setembro de 2016

PEQUENO PAPO DE BOTEQUIM: AO RUIM O DESPREZO, AO BOM O ESGOTAMENTO DE TODAS ALTERNATIVAS


Um dos conceitos de penalização mais antigo, é o da decapitação. A separação da cabeça do resto do corpo. O que, em outras palavras, quer dizer o desligamento físico da parte pensante da parte operante. Um conceito histórico que atingiu tanto realeza quanto populacho, sem descriminação. Logo uma operação democrática... 

Eu sou veemente contra este sistema, embota tenha ciência que existe muito aparentemente decapitado - no sistema teórico da ação - no turfe brasileiro.  Gente cuja cabeça parece estar desligada do tronco. Gente incapaz de sacar para o caminho que estamos enveredando. Gente vivendo o hoje, sem se preocupar se haverá um amahã. E isto me apavora. Sei que para se matar um jararaca, tem que se atingir sua cabeça, e o melhor remédio é decepa-la. Estamos prestes a testemunhar politicamente algo assim no Brasil. Como Maria Antonieta, o Lula irá ter o mesmo fim, pois, quem coleciona através do tempo, atos de arrogancia, soberba e superioridade ante outras pessoas, achando-se mais vivo que a vivacidade, acaba por colocar em risco, seu próprio pescoço.

Cada vez que a Keeneland compareço - e o faço profissionalmente desde 1987 - descubro que nós brasileiros vivemos uma irrealidade em termos de turfe. Criamos bem, vendemos mal e corremos por nada. Qual o futuro de uma imdustria como esta? Não é preciso ser um cientista nuclear para responder a esta indagação. E o que estamos fazendo para salvar esta situação? Posso estar enganado mais uma vez, mas acredito que absulutemnte nada.

Aqui em Keeneland, existe um compromisso com o mercado. O mais bobo, não serve para otário. Conhece a fundo o seu riscado, e quando algo que você acredita que apenas você sacou entra no rink, descobre que não apenas você, mais toda a torcida do Flamengo, atentou para o fato.

Montar uma short list de inspeção, para um leilão como o de Keenaland é um trabalho insano. Você sabe que dos 30 animais marcados, em um catalogo, 20 não irão servir  e dos 10 que sobram, existem, na verdade, poucas chances de sairem mo preço que você está preparado a gastar. É frustante. Mas você tem que ter resiliência. Fonder-se no desespero de nada adiantará. Só piora a situação, e na ânsia de não perder a viagem, você acorda a jararaca que existe em todos nós, e uma besteira é feita.

Hoje tenho controle em não fazê-lo. Custou-me tempo e dinheiro. Porém, logo, logo aprendi que fomentar um risco em uma atividade, que por si só, já contém em seu bojo, um grande risco, me parece o caminho mais curto, para uma decapitação capital.

Vi cavalos magnificos até aqui, porém, todos bem acima do que aqueles que em mim confiam, estavam prontos a gastar, Paciência. Você não pode simplesmente partir para um plano B, - nos catalogos 1 e 2 de Keeneland - se tiver plena conciência, que irá enfrentar na mesma pista, aqueles lotes que admirou e não conseguiu comprar. Cavalo bom não tem mistério. Ele deixa aquele cheirinho de hepta no ar. O problema é que ele, para nós brasileiros,  ainda está inacessível. Comprar o mais ou menos e esperar que ele ganhe do inacessível, não é uma tarefa das mais santas.

Logo a vida de um agente que trabalha para um mercado menor, não é assim tão simples, como as pessoas pensam. Desculpe a franqueza, mas o ruim, é o ruim em qualquer lugat do mundo. Se não dá para comprar aquilo que serve, é melhor se investir num par de sapatos. Pois, não é porque minha mãe é brasileira, que ela poderia fazer parte da seleção futebolística de um pais menos desenvolvido neste setor, que nós. Como diria o politico brasileiro. Uma coisa é uma coisa. Outra coisa é outra coisa? Pensamento de iniqua sucesibilidade filosófica, mas que funciona na prática em mercados de turfe como o brasileiro.

Nunca aquiri um animal achando que apenas num golpe de sorte ele poderia ser um craque. Sempre acredito que apenas numa questao de azar e fundamentalmente de erro humano, aquele que tenho eleito, irá fracassar. Sei que se trata de uma visão altamente prepotente, e potencialmnte egoísta, mas que penso ser a única que você venha a formar, em sua cabeça, se acredita em você e na atividade que exerce por opção própria, não por contingência. Ao ruim o total desprezo, ao bom o esgotamento de todas alternativas.

Domingo inicia em Keeneland os meu catálogos, o 3 e o 4. Porque os considero meus? Pois neles adquiri a Cara Rafaela, Estrela Monarchos, The Real Vaslav, Giulia e tantos outros. E assim peço, aqueles poucos que torcem, por mim, que rezem, E aos muitos que não, que vão ao cinema. Outrossim, acho que estou sentido um cheirinho do hepta, no ar.