HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
AEROSOL, MESMO DEVOLVIDO PROVOU SER CRAQUE: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO
ONDE A VELOCIDADE IMPERA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA
HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA: VENCEDORES INTERNACIONAIS EM TRÊS CONTINENTES

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

PEQUENO PAPO DE BOTEQUIM: DECLARAÇÕES INOPORTUNAS

Declarações inoportunas sempre serão consideradas inoportunas. Não tenho o menor resquicio de dúvida de que o Danilo Fernandes se trata de um goleiro fenomenal. Se por ele não fosse, o Internacional já estaria atolado no brejo a várias rodadas. Mas creio que depois do jogo com o Corinthians,  em que ele, Danilo Fernandes, teve uma atuação primorosa, dizer o que ele disse, me pareceu inoportuno. 

Esta certo que ele vivia o calor de uma partida recém perdida e um rebaixamento que passa a ser real. E em sua declaração, que foi bem até o último parágrafo, ele no final escorregou na maionese quando disse: Tem que ser mais homem. Tem que ter mais vontade. Tem horas que a gente parece time de juvenil, E a gente esta colhendo o que a gente está plantando.

Não cabe a ele dizer isto de seus companheiros. Que a mídia escreva, tudo bem.  Esta é a sua função. Não a dele. Portanto, não deveria ter tomado esta posição. Outro detalhes, que só um time juvenil precisando da vitória como o Internacional precisava, se deu ao luxo de chutar a gol, pela primeira vez, com 59 minutos de jogo, é evidente. Mas não cabe a ele, dize-lo.

O Internacional pode ter sido garfado nesta segunda-feira, como um destemperado disse, com um penalty, que só o juiz viu, é um direito do torcedor chiar. não alguém que representa o clube. No dia seguinte constitua-se de um advogado é vá contra a Federação. Todavia, o que aquele dirigente se omitiu de comentar, é que não foi ali que o saci pisou na segunda divisão. Esta foi apenas a gota de água. Houve sim, uma Cartilha de Rebaixamento seguida a risca por ele e o resto da diretoria do clube Colorado. Iniciada com as constantes trocas de Dunga, Argel, Aguirre, Falcão, Roth e agora Lisca, num periodo exíguo de tempo. Técnicos com linhas distintas de trabalho e de comando. Isto para nin se chama desespero!

Mas deixemos as queixas de ado. Ficou claro, que não existe mais a necessidade de um campeonato estadual. Vasco da Gama, Santa Cruz, Vitória e Internacional ganharam seus repectivos campeonatos, ainda este ano. E enquanto o primeiro está suando sangue, para voltar para a primeir divisão, o segundo caiu e os dois outros lutam para não preencher a última vaga existente no Z4. A pergunta que não quer se calar é a seguinte: qual a validade do campeonato estadual? Respondo: NENHUMA !

O futebol brasileiro tem que evoluir. Perdemos um tempo enorme com campeonatos estaduais e depois superpormos outros como a Libertadores, Copa do Brasil, Sulamericana e Campeonato Brasileiro para um mesmo período. E times mixtos são escalados e competições são priorizadas. Para mim está tudo errado.

É impossivel se jogar luz sobre a própria vida sem iluminar a dos outros. Foi mais ou menos isto que Simone de Bevoir uma vez escreveu. Se não foi exatamente isto, pelo menos, o sentido foi este.  E para mim, para sempre o que vale é a intensão.

Vamos iluminar nosso futebol, e fazer um esforço ainda maior para iluminar nosso turfe, que está funcionando a meia luz. Em nossa atividade, a tarefa é bem mais dificil, pois a grana secou e o desanimo não é mais aparente. Está presente. É só ir a um hipódromo. Mesmo na Gávea. Praticamente o único que sobrou...

Nosso mercado interno tem que ser fortalecido, como o é da Argentina e do Chile. O Brasil, é um dos poucos países que criam cavalos no mundo, que é capaz de produzir elementos fisicamente exemplares. Falta-mos genética, porém, em termos de motfologia não devemos nada a ninguém. Ou melhor se devemos, devemos pouco. O Brasil, é o unico pais que se compra barato em quinze vezes sem juros. Treina-se bem e barato e quando se ganha um prova de graduação máxima, o produto em questão vale seis médios digitos no mercado internacional. Logo, é um bom negócio quando você acerta este alvo. Dificil? Evidentemente que sim, mas escolher oito elementos, e dois serem premiados, não me soa como impossºvel. Eu mesmo estou nesta proporção.

Exemplos? Gloria de Campeão, custou US$20,000 e vocês já constataram quanto ganhou em prênios? Ele não é o únicio. Quanto custou Pico Central. Talvez US5,000 em quinze vezes? E Much Better por US$3,000? Quanto custou criar Siphon, Sandpit e outros? Não creio que muito. Logo, o que se tem que ter em mente, é usar o Brasil como um centro de treinamento. Comprar aquilo que acredita, provar o seu ponto e na hora exata pegar a melhor proposta. Tem que se ter olho? Tem. Mas apenas aos cegos este alvo não será acertado.

Tem que se saber o que está fazendo, tem que ter foco e acima de tudo, uma equipe que não comenta erros, da seleção ao winners circle.