HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
AEROSOL, MESMO DEVOLVIDO PROVOU SER CRAQUE: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO
ONDE A VELOCIDADE IMPERA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA
HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA: VENCEDORES INTERNACIONAIS EM TRÊS CONTINENTES

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

domingo, 23 de abril de 2017

PONTO CEGO: TEMOS A ÁRVORE, MAS CADÊ A FLORESTA?

O melhor potro que comprei na minha vida era filho de Baynoun. As melhores potrancas a quem tive acesso eram filhas de Royal Roberto e Monarchos. Logo, quando falo em genética teoricamente estaria falando da boca para fora. Afinal, os reprodutores citados, em minha concepção, - e creio do mundo inteiro - tiveram um resultado abaixo da critica.

Mas quando falo em estrutura genética, você tem que ter em mente não apenas uma peça da equação. Você tem que ver a equação como um todo. É aquela história da arvore e da floresta. A floresta ainda é mais significativa que uma única árvore. Embora toda e qualquer árvore o é também.

Impressionei-me com o pedigree do ganhador do Craven Stakes. O simples fato dele ser um filho da primeira geração de Frankel, - o sétimo individual ganhador de grupo - por si só impressiona a qualquer um. Mas a estrutura genética formada em sua mãe por Kingmambo, Sadlers Wells e Darshaan, na linha materna de Mumtaz Mahal, cria uma impressão acima de toda e qualquer suspeita. Ela é simplesmente perfeita.


MUITA GENTE HÁ DE BRAMIR, 
QUE ISTO SEMPRE EXISTIU
NADA DE NOVO FOI INSERIDO
BOM COM BOM TENDE A DAR BOM

O grande hudine - o mágico - em suas memórias disse que mais vale um velho truque que impressione a todos, do que um novo, que a ninguém impressiona. Sim o conceito da qualidade tem que prevalecer. Mas acredito que de outra forma. Aqui não é o caso de um craque e uma craque. A mãe de Eminent, correu dez, ganhou apenas uma, e é certo que foi terceira em prova de grupo 1 aos dois anos. Mas longe de poder ser considerada uma craque. O que se verifica nela é um pedigree de altissima qualidade, que mesmo não demonstrando em pista toda a sua potencialidade, no breeding shed, parace que irá virar a mesa.

Sei que o Craven stakes, já não é mais uma poderosa arma para se chegar aos 2,000 Guineas. Se a minha memória não está falha, creio que apenas Haafhd está entre os seus vencedores neste século. O fato deles não conseguirem ganhar a primeira prova da triplice coroa inglêsa, me assusta, mas Eminent - invicto em duas atuações - me impressiona. A triplice coroa britânica é aquela que deu razão a criação de todas as outras no mundo. É uma tarefa dura conquista-la e os 2,000 Guineos, hoje parece ter o mesmo grau de dificuldade que o derby. Mas com um pedigree deste, Eminent impressiona e creio que de alguma forma, a força desta genética, poderá ser um poderoso aliado seu na reta de Newmarket. Aliás, já p fopi em duas oportunidades.

Dentro daqueles por ele batidos, np Craven Stakes, estava Rivet, que chegou na segunda colocação, e que em sua temporada juvenil, venceu um grupo 1. Logo, não se tratava de um bando de ingênuos. Mas a forma como Eminent se despregou do grupo, nos metros derradeiros, é a razão de minha retórica a seu favor.

Imaginem a qualidade de criação do cavalo brasileiro, que sem ajuda genética, mesmo que em apenas algumas vezes, consegue suplantar uma genética infinitivamente superior nos Estados Unidos. Ainda não na Inglaterra. Temos o fisico, falta a genética se a idéia é crescer, como a Australia e o Japão o fizeram. Em outras palavras, cada um está plantando a sua árvore, mas cadê a floresta?