HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
AEROSOL, MESMO DEVOLVIDO PROVOU SER CRAQUE: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO
ONDE A VELOCIDADE IMPERA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA
HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA: VENCEDORES INTERNACIONAIS EM TRÊS CONTINENTES

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

terça-feira, 25 de julho de 2017

PONTO CEGO: NOME AOS BOIS


Nós os humanos, temos uma tendência a dar nome aos bois. E bois supostamente não seriam seres a serem nominados. Boi é boi! Vaca é vaca! Outrossim, sempre existirão exceções com touros famosos e vacas premiadas. Mas como disse são exceções e devem ser tratadas como tal.

Antigamente quando ainda era impossivel se saber de antemão o sexo da criança, escolhia-se dois nomes, um masculino e um feminino. Hoje já sabendo o sexo, basta se escolher um, mas a modernidade parece que vai voltar a escolher pelo menos dois nomes para o feto. só que dois para o macho e outros dois para o feto fêmea, já que existe uma tendência "moderna" de a criança só deverá escolher sua opção sexual - Jim Willis que o diga - após certa idade. Ai você deu o nome de Sebastião a quem gostaria de se chamar Marilyn, complica.

Eu mesmo tenho uma tendência de dar nomes aos bois. Logo, me penitencio também. Fui educado desta forma e agora fica difícil mudar. Nunca fui comissário de corridas e não me sinto preparado para tal, embora poucas pessoas tenham assistindo tantas corridas em distintos países como eu. Mas eu acho que desclassificar ou não um cavalo, durante o desenrrolar de uma carreira, um ato de dar nome aos bois.

Ontem o José Carlos Fragoso Pires Junior me mandou um email com a reta - vista de frente - do Coaching Club American Oaks. Sua pergunta foi incisiva. Você desclassificaria ou não? Minha resposta, é: não sei. Cada hipódromo tem suas regras. A forma que a maioria de hipódromos nos Estados Unidos, analisa a questão é distinta dos principais hipódromos britânicos e muito mais dos franceses. Eu por exemplo não desclassificaria nem Nureyev, muito menos a Sagace, mas eles foram desclassificados. Estariam as comissões de corrida erradas? Evidentemente que não. Cada comissão de corrida tem que seguir sua cartilha. E elas são distintas.

Acho que os norte-americanos pensam que se o prejudicado, não teria chances de bater a aquele que o prejudicou, nada é mudado. Os britânicos, pensam de forma distinta e os franceses são partidários de que a simples mudanla de linha, independe se você estiver sobrando na turma ou não, é desclassificão na certa.

Logo é uma questão de dar nome aos bois e eu não me sinto preparado para tal.