HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
AEROSOL, MESMO DEVOLVIDO PROVOU SER CRAQUE: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO
ONDE A VELOCIDADE IMPERA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA
HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA: VENCEDORES INTERNACIONAIS EM TRÊS CONTINENTES

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

sábado, 14 de abril de 2018

PAPO DE BOTEQUIM: 872 ERROS DE PORTUGUÉS

Tenho muito medo, de quem faz afirmações biblicas, tais como nunca na história deste pais...

Lula fez um discurso histórico na véspera de sua prisão!

Foram 872 erros de português. Por volta de 73 alegações mentirosas. Exatamente 21 frases de incitação ao crime de invasão e outros. A crença de ser uma divindade foi reaberta, 18 apologias à ignorância foam defendidas e 51 frases contrárias à imprensa livre, bostejadas. Mas o número 51 parece ser algo que não sai de sua cabeça.

Que homem! Que Estadista!

Estas duas últimas exclamações foram proferidas pela presidente de seu partido, que agora foi incluída no quadro de sua defesa, para que tenha acesso, quantas vezes quizer ao encarcerado. Não foi ainda decidido que se em visitas intimas, ou normais de advogado e cliente.

O Millor Fernandes tinha uma observação que considero genial. Algo que dizia, que o pessimista era um sujeito feliz, pois, tanto quando errava quanto quando acertava em suas predições, os resultados o agradavam. Contudo acho que esconder-se sob o manto do pessimimo, embora o possa salvar de muitos problemas, não resolve seu problema maior: o da sobrevivência. E este é o problema maior do turfe brasileiro, Ele esta inssolvente...

Prezo por minha sobrevivência. Hoje tenho idade avançada, investi nesta profissão e não quero ter finalizar minha existência fazendo pizzas. Berro, pois, necessário se tornou. Gostaria que muitos tivessem sucesso em pista e pudessem vender seus produtos para um mercado externo, como o faziamos decadas atrás. Não podemos nos valer apenas da moeda interna. Não podemos nos manter no sistema de troca de figuinhas do tipo A compra de B. B compra de C. E C compra de A. A roda não avaçnça, Limita-se a rodar entorno de seu próprio eixo.

Olhem o resultado que apresento sobre as vendas na Australia. O mercado ferve e nota-se que gente do hemisfério norte, está aplicando no produto inédito do hemisfério sul, em que peze a perda de seis meses de campanha.

Temos que organizar nossa vendas. Propaga-las aos quatro ventos e esperar que num futuro a médio prazo, alguém além dos uruguaios, nos deem maior atenção. E neste aspecto posso dar meu testemunho profissional. É mais simples vender a idéia a um investidor estrangeirro a coloca seu dinheio num filho inédito de Redattore ou Fluke que num de Rock of Gibraltar ou Holly Roman Emperor. Resumindo no mercado internacional, há menos receio no que não se conhece do que aquilo que se conhece e não se aceita.

Risco sempre haverá. Outrossim como aqui já escrevi, não basta um navio permanecer em seu porto. É mais seguro, mas ele não foi feito para isto. E já que há de se enfrentar o mar, o desconhecido certamente assusta, mas não tanto quantos aqueles já considerados altamente perigosos.

Vamos nos unir a ABCPCC - que pelo me consta hoje conta com apenas 160 associados - e tentemos juntos uma virada de mesa. Patrocinios, são necessários e creio que o aumento de nosso quadro de apostadores tem que ser levado como primordial. E deixemos com aquela ladaínha de nunca na história deste pais...