HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
AEROSOL, MESMO DEVOLVIDO PROVOU SER CRAQUE: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO
ONDE A VELOCIDADE IMPERA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA
HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA: VENCEDORES INTERNACIONAIS EM TRÊS CONTINENTES

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

terça-feira, 19 de junho de 2018

O AVISO AOS NAVEGANTES

Meus queridos amigos, a bronca é livre, cada um tem o direito de referendar sua opinião, mas este blog não está aqui para fomentar fofocas ou suspeitas. Acredito que não tenha inimigos, pois, a ninguém acuso. Portanto, quando me referi ao leilão do Beverly Hills, não me importa o que foi feito das éguas, se não fui eu que as selecionei para clientes. E mais, se fulano ou cicrano estava agindo com segundas intenções, não cabe a mim levantar suspeitas ou colocar panos quentes. 

Fiquei feliz que os preços tenham sido bons. Primeiro que o Alessandro Arcangeli merece. Investiu e tem o direito de colher. Nosso mercado precisa de incentivo e nada melhor que os criadores ganhem dinheiro para poderem criar melhor e assim proprietarios e profissionais irão se beneficiar da medida, a médio e longo prazo.

Não acompanhei de perto as vendas, mas fui informado de quem estava participando da mesma, Não gosto de citar nomes, mas acho que agora se torna necessário, pois, há gente que cre que altos preços foram na verdade fabricados. Que me desculpem a indiscrição, mas o Cifra e a Black Opal, reconhecidos investidores do mercado, lançaram alto. Se não chegaram ao lance final, foram até onde achavam que deviam. Logo não houve fabricação de preços. São duas entidades que nunca se prestariam a este tipo de coisa. Nenhum patrocina meu blog, nem estava agindo para eles como agente, logo, não estou os citando para interesses próprios. Falo com conhecimento. Houve sim disputa em alto escalão. Agora se o comprador é quem anunciou-se, se este estava ou não agindo de fachada, não interessa a mim e a acredito que a ninguém.

Apenas fiquei feliz de ver os preços, como fico feliz que alguém patrocine uma grande corrida da importância do Grande Premio São Paulo, coloque um anuncio no Jornal do Turfe e que compre um puro sangue inglês. São forças do turfe. E sem citar nomes, comentei que estas duas entidades que tiverm a competência de vender Galope Americano e Flight Time para interesses do exterior, estavam trazendo este dinheiro ganho novamente para o seio da atividade. Há situação mais praizerosa que esta?  O H e R vendeu sua champion Giulia. Deixou ele de comprar potros este ano? Não importa o tamanho. Mas se todos remarem na mesma direção. Ninguém abandonar os remos e o publico for novamente atraido para os hipódromos, teremos assim pelo menos uma chance. E eu não terei que vender pizzas.

Não falarei mais neste assunto, pois azedou minha limonada.

segunda-feira, 18 de junho de 2018

PONTO CEGO: QUANDO VAMOS EVOLUIR?

Depois de assistir a um México e Alemanha, como assisti ontem, fica dificil de se falar em emoções, mesmo em se tratando de corridas de cavalos. Um esporte que vive das mesmas. Confesso que torci pelo México, não pelos mesmos motivos que quase todos brasileiros, a exceção do Christian Schlegel, torceram: o de ver a Alemanha fora da Copa antes de um encontro conosco. Reconsiderando, a Alemanha e principalmente a Argentina. Torci pois, amo Cancun, praia mexicana que frequento pelos menos cinco semanas por ano, durante os últimos 25 anos.

Aprendi não só gostar do México, como de seu povo e sei o que esta vitória representou para eles. Talvez tenha sido maior que a que conseguiram contra o Brasil, nas finais da olimpiadas de Londres. Nós que estamos acostumados a ganhar tantos titulos no futebol, deviamos dar um maior valor a certas vitórias. A não ser que elas sejam obtidas no final de algo, não temos a mesma alegria, não extravazamos as mesmas emoções.

Eu aprendi a dar valor a cada vitória, seja na pista, no tattersall ou de ver um cruzamento que levei a efeito surtir aquilo que projetara em minha mente. E digo mais, passei a valorizar derrotas, mesmo que sofridas, quando sinto que tudo foi tentado, mas o adversário se mostou melhor por ser um elemento categorizado. Já disse aqui, que tirar doce da mão de criança, não é comigo. Quero ganhar, mas ter certeza que o adversário estava num alto patamar. Ou perder para ele, vendo o cavalo que selecionei dar tudo de si.

Penso que entre minhas maiores alegrias, é ter visto Much Better no desfile de apresentação do Arco, ou quem sabe talvez aquele segundo de Hard Buck no King George e aquela também segunda colocação na Breeders Cup Juvenile Fillies com Cara Rafaela. Evidente que foram reações diametralmente opostas as duas vitórias de Da Hoss na Breeders Cup, de Einstein no Santa Anira Handicap e de Gloria de Campeão na Dubai Cup. Mas o que senti dentro de mim, foi a mesmissima coisa. Um sentimento desviando para a tristeza. Outro para a alegria, Não tenho a frieza dos anglo-saxoes. Compartilho da emoção latina.

E depois vi o Brasil jogar... Bem, é melhor entrar direto onde quero entrar. Vocês tiveram a opotunidade de assistir a performance de Oscar Perfomance em Belmont Pak?  1'31"23 para a milha. Isto é careira para ninguém colocar defeito, E não ganhou por abandono. como muitos possam pensar. A turma chegou junto. O segundo a 1 ½ corpo. E o terceiro um corpo a seguir.


Que Kitten's Joy é um fenomeno na grama, isto todos nós sabemos. Mas não seria possivel de imaginas que esta duplicação em Special, não tenha contribuido para esta demonstração de poderio locomotor na milha? Toda vez que você une em um pedigree os nomes de Sadlers Wells e Nureyev isto virá a se verificar, Sejam pelos mensageiros que forem.

Esta é uma forma de se ganhar e penso que deveriamos explorar com mais assiduidade esta possibilidade no Brasil. Que ela funciona, não há mais do que discutir. Pergunto-me então, tendo as peças porque não tentamos? Porque não acreditamos em estrutuas genéticas e continuamos a discutir apenas este ou naquele reprodutor, como se estes fossem os únicos no centro do universo?

Venho todos os anos para o Brasil, e seja na Gávea como em Cidade Jardim, o assunto versa, em sua grande maioria das vezes, sobre reprodutores. Agentes, que não conseguem comprar sequer um razoável cavalo que possa mostrar nas pistas aptidões, tendem a discutir sempre sobre este ou aquele garanhão, com a empáfia biblica. Quando vamos evoluir?

PS1, Qualquer semelhança entre o cabelo do animal apresentado no inicio deste com o atual pemteado pouco viril de Neymar, não passa de uma mera coincidência.

O PRIX DIANE



MOMENTO


DAQUI A ALGUMAS HORAS


ANALISE DAS VENDAS


Union-Rennen - Group 2 2018

Revivez la course du Prix Hocquart Longines

Revivez la course du Prix Paul de Moussac Longines 2018

Revivez la course du Prix de Diane Longines 2018

Revivez la course du Prix Bertrand du Breuil Longines 2018

Oscar Performance - 2018 - The Poker Stakes

INGLIS



HORSES





PAPO DE BOTEQUIM: LAURENT É ENCRENCA

Perguntaram-me sábado, no hipódomo da Gávea, o que mais me impressionara no fim de semana da grande festa do turfe brasileiro. E eu respondi, que bastante coisas, mas o publico jovem presente e um potro chamado Laurent, foram aqueles fatos, que me deixaram a mais viva boa impressão.

Já disse que nosso turfe está um pouco grisalho, e precisa urgentemente de uma injeção de vigor que normalmente são os jovens trazem com mais intensidade. Houve, acredito eu, uma preocupação da atual diretoria e da PMU, em atrair este publico. E da forma que seja por eles desenvolvida, atingiram seus objetivos. Esqueçam movimento de apostas. O que vale neste caso é a exposição. Espero que repitam com maior assiduidade, pois, água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. Digo que dos 300 jovens que possam ter comparecido se meia dúzia volta, é o inicio de algo. Algo que poderá se tornar poderoso com o passar dos anos. E ai assim, o movimento de apostas terá um reforço. Tudo a seu tempo,

A pista não ajudou, e São Pedro não foi camarada como não o está sendo nestes ultimos anos. E creio que isto tem alterado, de alguma forma, o resultado das carreiras. Principalmente nestas quatro últimas disputas. Não que seus vencedores, para este período, não demonstraram valor. Longe disto. Todavia, há de se convir, que dentre os quatro últimos vencedores do GP. Brasil, não estavam nos prognósticos da maioria que apostava. Já disse isto, e se torna inutil repetir. Portanto en passant... Um potro, mesmo em pista anormal, deu uma apresentação que a meu ver foi a mais significativa de todas. Seu nome Laurent.

De criação e popriedade do Haras Figueira do Lago, Laurent, é produto de um cruzamento inteligente e que tenho certeza absoluta, que não foi nem produto da sorte quanto mais da obra e do do acaso do Espirito Santo. Dona Barbara Magalhães, uma estudiosa de pedigrees, urdiu uma combinação, que ouso afirmar foi de uma clarividência e felicidade, pouco notada na maioria dos cruzamentos efetuados por nossos criadores. Ela não ousou. Simplesmente quantificou. A estas combinações, otulo de engenharia genºetica. Quando se encaixa, a coisa se torna uma encrenca!

Pois é, da união de dois elementos transmissores de alta classe no terreno do dirt, Discreet Cat e A. P. Indy, surge um elemento que arrisco a afirmar que dificilmente perderá na pista de areia. Anotem e podem me cobrar. E arrisco mais. Não apenas em pistas brasileiras, mas também, em uruguaias e argentinas para começar a se discutir o assunto. Sei que a adaptação da areia para o dirt, - coisas completamente distintas, piso este que mais se assemelha as pistas de Maronas e Palermo - não é tão simples, como muitos possam pensar. Há uma grande diferença. Se duvidam, me digam qual o grande coredor de areia que se estabilizou como craque no dirt norte-americano? Mas grandes cavalos, como Laurent parece ser, poderão fazer a mudança e aumentar ainda seu potencial de carreira, afinal como dissemos, Discreet Cat e A. P. Indy foram champions no dirt. 

Reparem na sutileza deste cruzameto, que alºem de ter as figuras principais de Discreet Cat e A. P. Indy, igualmente consegue duplicar dois importantes chefes de raça, que se sairam extremamente bem também no dirt, Secretariat e Buckpasser, e uma das mais importantes matriarcas do élèvage Phipps, Glamour, talvez a mais instigante descendente da mais famosa égua do tufe norte-americano, La Troienne. Do qual Laurent tem sete ramificações. Eu não disse duas ou três. Eu disse sete!



Abro um parênteses. Giulia, outra descendente de A. P. Indy, que adquiti em Keeneland, mas petencente ao H e R é imbreed em Secretariat, Mr. Prospector e Seattle Slew, e em outra descendente de La Troienne,  - do qual trazia cinco vertentes - Busanda. Quero apenas lembrar que anos atrás, Giulia se adaptou e arrasou em Maronas. Hoje está cheia de American Pharoah a caminho do Japão. Creio que Laurent, fará o mesmo, pois, não vejo nela uma campanha meramente nacional. Fecho parênteses.

As coisas quando bem feitas, não determinam resultados por acaso. Elas percentualmente irão funcionar, quando forem solicitadas e repetidas se por ventura houverem oportunidades. Infelizmente Discreet Cat era um garanhão de shuttle, que deveria ter voltado e não o fez. Paciência.

Quando em Keeneland selecionei Ella Bird, a mãe de Laurent, o fiz por vários motivos. Outrossim, os dois principais foram evidentemente ser ela uma filha de A. P. Indy e neta de uma das melhores éguas que vi correr, a irlandesa Kooyonga. Égua capaz de bater os machos em provas de graduações elevadas.

Alguns tem o direito de achar que eu possa estar exagerando com um potro que apenas venceu uma carreira mais conceituada, mas não ainda um prova de grupo. Aceitarei a critica, embora existam em meu dicionário formas de vencer e VENCER. Na minha defesa, disse isto de Frankel, Zarkava, Sea the Stars e tantos outros, antes mesmo de galgarem as provas de grupo que arrebataram a seguir, com extrema frequencia, e em nenhum deles errei. E sabem porque? Porque cavalos como Laurent exalam um perfume distinto. Uma fragrância que Yves, saberia como ninguém desenvolve-la.

E ai entra aquele velho problema: o que fazer com um cavalo de areia em um turfe 99% virado para a grama?

HORSES





A VOZ DO POVO É A VOZ DE DEUS:: O KIT DESGRAÇA

Existem criadores, no mundo inteiro, que gostam de se utilizar do Kit Desgraça. Outrossim, no Brasil, esta prática é mais frequente. Não sei se por desconhecimento, ou pelo inedetismo da questão. Afinal, nós brasileiros sempre gostamos de ser diferentes. Já elegemos paa altos cargos de nossa hierarquia politica, rinocerontes, macacos, palhaços, jogadores de futebol, torneiros mecânicos e até postes. Todos portadoes de kits desgraça de altíssima relevância. Acho que já é tempo de ter aprendido a lição. Afinal, se analisarmos os mais importantes cavalos da modernidade, iremos convir, que eles não eram portadores do Kit Desgraça.

QUEM, NA OPINIÃO DE VOCÊS 
FORAM OS CINCO MAIOES CAVALOS 
DESTES ÚLTIMOS TEMPOS?

Não sei qual a opinião de vocês, mas para mim, foram Much Better, Einstein, Itajara, Pico Central e Bal  Bali. Nenhum deles possuia um pedigree régio. Talvez uma exceção possa ser a feita ao invicto Itajara e a Einstein, que tinha nome de gênio e como cavalo ea um gênio. Mas, com certeza, nenhum trazia consigo um Kit Desgraça, embora muitos possam reprovar o pedigree de Much Better

Porque estou tocando neste assunto? Pois, foi-me perguntado, durante um leilão, qual a validade do pedigree, se na opinião, daquele que me interpelava, - em um estágio etilico já avançado - se no final iamos mesmo aos leilões e selecionavamos os animais por fisico? Respondi ao dileto asno, que quando compro seis animais para um mesmo cliente, posso, arriscar a comprar um que tenha um pedigree que realmente não me agrade. E que no caso de Much Better, ele era neto de uma égua muito boa chamado Pintora, de uma linhagem de uma espetacular égua chamada Jacutinga, e de uma linha baixa que muito admito, a 13-c. E que embora não nutrice por Baynoun um respeito maior, achava que não seria - como não o foi - um negado. Um cavalo que gerou a dez individuais ganhadores de grupo, sendo três do naipe de Much Better, Sandpit e Funtastic, não deve ser considerado um negado.

Senhores, cada um tem o direito de selecionar para si o que quizer. Todos menos os profissionais, que como eu, selecionamos pata outros. Brincar com o dinheio alheio, acreditando apenas em fisico, me parece um ato de irresponsabilidade. Esta é a defesa que faço, em considerar a genética como um indice de suma importância no selecionamento.

AMANHA ABRE ROYAL ASCOT



NO CANADA


NA IRLANDA


LA PARA OS LADOS DO ORIENTE




EM CHANTILLY FOI DIA DE PRIX DIANE





EM BELMONT PARK


NA ALEMANHA


domingo, 17 de junho de 2018

STEPHEN FOSTER HANDICAP (G1) - PAVEL (MARIO GUTIERREZ)

UM ARGENTINO EM CHURCHILL DOWNS

Imperatrice 6x6x5x5,  
Northern Dancer 4x5x5, Tom Fool 5x5 
e Princequillo 5x5

uma fórmula de se vencer
no hemisfério norte


O PENALTY DE MESSI


Danzig...What Might Have Been

BEL20180616 Race 6 2018 Hyperion Stakes

Summertime Oaks (Grade II) June 16, 2018

ROYAL ASCOT

Tuesday 19 June
14:30: Queen Anne Stakes (Group 1) 1m
15:05: Coventry Stakes (Group 2) 6f
15:40: King's Stand Stakes (Group 1) 5f
16:20: St James's Palace Stakes (Group 1) old mile
17:00: Ascot Stakes (Handicap) 2m 4f
17:35: Wolferton Rated Stakes (Listed) 1m 2f
Wednesday 20 June
14:30: Queen Mary Stakes (Group 2) 5f
15:05: Queen's Vase (Group 2) 1m 6f
15:40: Duke of Cambridge Stakes (Group 2) 1m
16:20: Prince of Wales's Stakes (Group 1) 1m 2f
17:00: Royal Hunt Cup (Heritage Handicap) 1m
17:35: The Jersey Stakes (Group 3) 7f
Thursday 21 June - Ladies' Day
14:30: Norfolk Stakes (Group 2) 5f
15:05: Hampton Court Stakes (Group 3) 1m 2f
15:40: Ribblesdale Stakes (Group 2) 1m 4f
16:20: Gold Cup (Group 1) 2m 4f
17:00: Britannia Stakes (Heritage Handicap) 1m
17:35: King George V Stakes (Handicap) 1m 4f
Friday 22 June
14:30: The Albany Stakes (Group 3) 6f
15:05: The King Edward VII Stakes (Group 2) 1m 4f
15:40: Commonwealth Cup (Group 1) 6f
16:20: Coronation Stakes (Group 1) Old mile
17:00: Sandringham Stakes (Listed) (Handicap) 1m
17:35: Duke of Edinburgh Stakes (Handicap) 1m 4f
Saturday 23 June
14:30: Chesham Stakes (Listed) 7f 
15:05: Hardwicke Stakes (Group 2) 1m 4f
15:40: Windsor Castle Stakes (Listed) 5f
16:20: Diamond Jubilee Stakes (Group 1) 6f
17:00: Wokingham Stakes (Heritage Handicap) 6f 
17:35: Queen Alexandra Stakes (Conditions) 2m 6f

MOMENTO


THOROUGHBRED DAILY NEWS





LONGINES WIRLD'S BEST


PAPO DE BOTEQUIM: UMA LÓGICA INEXORÁVEL DE UMA TOTAL DEGENERÊNCIA

Lembro de uma frase hómerica de Bob Fields, o ministro do planejamento de Castelo Branco, Roberto Campos, em que ele comentava com o marechel revestido de presidente: "Se continuarmos a varrer todo o tempo o pó da cozinha, não terei condições para começar a cozinhar". 

Acho que quando Deus criou o universo e disse ao bom e paciente São Pedro que ao invez de dotar o Brasil de vulcões, maremotos, terremotos, furacões, tornedos ou neve, colocaria um povo, como assim dizer diferente, ele não estava de maneira alguma exagerando. Ele nos fez, numa mescla de indios e portugueses, que na verdade desde lá de trás criaram aquilo que eu chamo de um eteno universo paralelo. Eramos apenas mazombos antes de nos tornamos brasileiros.

Somos o pais do universo paralelo. Minha grande impressão vivente no Brasil, foi evidentemente aquilo que chamam da revolução de 1964 que coincidentemente foi feita naquele que denominamos do dia dos bobos. Que em minha opinião nada teve de revolução, pois, aprendi no estudo da história mundial que toda revolução nasce de uma idéia. Que evidentemente não foi o caso da nossa. Ela nasceu da necessidade de se tirar Jango Goulart da presidência da Republica. O que em outros países seria conceituado de golpe. E o pior, quando Dilma Roussef, sofreu o seu constitucional impeachment, previsto em lei e seguido em todos os seus tramites legais, aqueles que se sentiram atingidos pela mudança, trataram o impeachment como golpe. Uma total inversão de propósitos

Isto é ou não é um conceito de universo paralelo?

Mesmo durante o regime militar, foi bem mais fácil se colocar na cadeia aqueles que acreditavam ser terroristas do que os sabidamente corruptos. E este erro, propiciou que a corrupção criasse em torno de nossos politicos, um elmo, onde "uma mão lava a outra" e do "coça minha costas que eu coço as suas". Outra prova inequivoca da impuniade, criada por este universo paralelo do qual nos acostumamos a viver.

Nos Estados Unidos, onde atualmente vivo, existe isto também, mas em muito menor escala. E tem-se uma certeza, se você for corrupto, um dia será pego e não haverá segunda, terceira ou quarta instâncias e nem Gilmar Mendes paa livrar a sua cara, É prisão imediata com TOTAL penhora de bens. 

Se eu não pagar meu condominio não tenho direito de sequer, usar o elevador, a garage e demais partes comuns. No Brasil, se houver foro previlegiado, o processo um dia expira, é arquivado e como consequência natural, um belo dia você é reeleito pela mesma pirâmide anterior que o elegeu, que mama e o mantem no poder, para a vaca que amamenta a todos não seja levada ao brejo.

Isto é ou não é um conceito de universo paralelo?

NOSSO TURFE VIVE UM ETERNO 
ESTÁGIO DE UNIVERSO PARALELO
ONDE O SEU INVESTIMENTO VISANDO GANHAR
ESTÁ COMPLETAMENTE DISSASSOCIADO
DA REALIDADE DO QUE A ATIVIDADE
PODE LHE TRAZER DE VOLTA

Tivemos leilões bem acima das expectativas, até de quem os organizou, seja no âmbito de potros, seja no sentido reprodutivo. Preços bem acima da realidade em que vivemos. Isto seria viver num universo paralelo? Evidentemente que sim, mas dentro de uma visão empresarial que acredita que em um futuro a médio prazo, as coisas podem vi a mudar. Sei que quando as linhas ferreas foram construidas nos Estados Unidos atravessando desertos e terras indigenas, vivia-se um clima de universo paralelo. Mas na realidade provou-se que era um visão de um futuro distinto. Mesmo que construído a resultados a longo prazo. E a coisa deu certo.

Hoje, infelizmente estamos numa condição financeira que não nos permite tentar alçar altos vôos. E mesmo os fracassados em outros centros mais desenvolvidos vem aqui, recebem o que de melhor há, pois são tratados como cerejas do bolo, e respondem - a meu ver - com um sucesso. aquém do que era esperado por aqueles que investiram alto na empreitada. A exceção de Spend a Buck, fatias bem menoes do que o investimento neles feitos. Outrossim, nota-se que os que chegam inéditos ainda do breeding-shed do hemisfério norte, tem tido mais sucesso que os aqui chegaram com o rótulo de fracasso em grandes haras, onde receberam chances no mais alto nivel.

Existem dois tipos de fracasso. O obtido pela falta de exploração, e o outro, que mesmo explorado a fundo, não deu a resposta minima que deveria ser dada, Cabe a você distingui-los,

Roderic está na India. Fracassou no continente europeu. Mas aqui chegou sem que nenhuma de sua geração européia tivesse estado e para mim foi sucesso. Este é um exemplo de alguém que se tivesse o mesmo apoio logistico de Holy Romam Emperor - aquele que veio no mesmo ano - poderia ter sido algo maior que este, mesmo que num mercado mais competitivo.

Este é o diferencial que temos que fazer. Não viver no universo paralelo, onde apenas um vitória, cria uma áurea de uma lógica, inexorável de uma total degenerência, esta uma prima de primeiro grau do universo paralelo.  Vamos  criar um universo real, para melhor entendimento e uma possivel manutenção de um diálogo.

Um cavalo da grandeza em pista de alguns que aqui aportaram e com as chances que tiveram com nossos mais conceituados criadores,. exige um percentual de ganhadores de grupo, no minimo de 6%. Roderic com 91 produtos registrados conseguiu produzir sete individuais ganhadores de grupo. Isto lhe atribui um percentual de 7,69%. O que para mim é excelente.  Tomemos como exemplo aquele que foi trazido no mesmo ano, e cobriu as melhores éguas do criatório paulista: Holy Romam Emperor teve 107 produtos registrados e até aqui, apenas três individuais ganhadoes de grupo, o que lhe atribui um pifio percentual de 2,80%. Vou ter que desenhar, ou achando que foram duas investidas de mesmo nivel, não seria uma prova que vivemos em um universo paralelo ou com uma lógica, inexorável de uma total degenerência?

Ninguém fala de Refuse to Bend. Que chegou a ser apelidade de Refuse to Win, por puro interesses comercias. O que reprovo. Ele veio por dois anos, para o mesmo haras e num desses anos, coincidiu com a presença de Holy Roman Emperor no mesmos centro, São Paulo. Acreditem, pelos números do stud book, teve um muito menor apoio logistico dos criadores daquele estado, o que valeu lhe imputar apenas 142 potros registrados, dos quais a grande maioria oriunda do haras que lhe manteve. E mesmo assim, com apenas 142 produtos registrados, obteve a notável marca de 10 individuais ganhadores de grupo. Deu para notar que seu pecentual  de 7,04% foi estupendo? Melhor que o de Spend a Buck, outro que como ele, já chegou aqui com o rótulo de fracassado.

Ai eu pergunto, o que você exploraria reprodutivamente? Um nacional filho de Holy Roman Emperor ou de Refuse to Bend? Cada um que trabalhe com a sua própria conciência.

Numeros são apenas números. Sei disto. mas universos paralelos e degenerências ilógicas, também o são.

HORSES