HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
AEROSOL, MESMO DEVOLVIDO PROVOU SER CRAQUE: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO
ONDE A VELOCIDADE IMPERA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA
HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA: VENCEDORES INTERNACIONAIS EM TRÊS CONTINENTES

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

domingo, 24 de setembro de 2017

Off Limits - 2017 Noble Damsel Stakes

WEST COAST (USA ) 2017 Pennsylvania Derby G1 1 1/8 MILES

BOM DIA







Sharp Azteca - 2017 Kelso Handicap

สนาม Parx : เที่ยว 10 : รายการ Cotillion Stakes : 23/09/60

OLÔ VIVO PARA RSTE CAVALO









O QUE VEM POR AI: DAQUI A ALGUMAS HORAS




HORSES







PONTO CEGO: VAMOS A VER OU MAIS NADA A DEMONSTRAR

West Coast

Muita gente extranhou que eu tivesse colocado West Coast como um dos meus diletos palpites para o Derby de Kentucky. Isto depois dele ser segundo nos 1,700m do Lexington Stakes (Gr.3), um daqueles preparatorio marotos, que não fede nem cheira. Outrossim, para mim, tratava-se de um potro em alta evolução numa turma que a cada dia tinha um novo lider. Num bolero, bem mexicano, que bem poderia ter se chamado, Ninguém é de Ninguém!

No frigir dos ovos, nem ele, nem o vencedor do Lexington Stakes (Gr.3) tiveram pontos suficientes para participar da prova. E me outro nome para o Derby, Irap, chegou na antepenultima colocação. Logo meu derby foi um tiro no pé!

West Coast emplacou o Los A;amitos Derby (Gr.1) e a seguir o Travers (Gr.1), num tempo normal, já que no ano anterior outro pupilo de Baffert foi capaz de ser o único cavalo no Globo terrestre a baixar de 2', uma carreira que passou a ser disputada na distância de 2,000 metros, a partir de 1902...

Mas ontem no Pennsylvania Derby (Gr.2), tanto ele como Irap me pareciam as forças virtuais da carreira, como acabaram sendo, pois chegaram respectivamente em primeiro e segundo. Enquanto West Coast ganhava por quase 8 corpos, Irap demonstrava, logo após cruzar o disco estar fraturado. Sorte para um. Azar para o outro.

Mas o que me fe crer que West Coast pudesse a ser um elemento com o perfil de um diferenciado? Não foi com certeza, seu pedigree, que embora faça dele um descendente da 9-f, por uma ramo visto por muitos, como tão somente sofrivel, ainda por cima tem uma estrutura genética considerada pouco acima do médio, formada por Flatter, numa mãe Honour and Glory, numa mãe Majestic Prince, numa mãe Fleet Nasrullah. Pois é, a gtande maioria que suspeitava que eu era um cara maluco, passou a não ter mais dúvidas.


Imbreed em Raise a Native e nada mais a complementar, pensariam muitos. Pois é, seu José, a coisa não é bem assim. Interessei-me por West Coast, primeiro porque conheço Baffert. Ele não atravessaria o continente para correr o Lexington Stakes (Gr.3) se não tivesse um objetivo futuro maior em mente. E segundo, que eu tenho em meu radar, sua avó, Lovin Touch. 

Mas como ter Lovin Touch no radar e não sua filha Caressing, que ganhou a seu tempo, uma Breeders Cup Juvenile (Gr.1)? Parece insano, mas garanto a vocês que não é, E provo a vocês porque. Pois bem, analisem abaixo o pedigree de Lovin Touch, e decobrirão, que ela é produto da duplicação de duas estruturas genéticas. A mãe de Majestic Prince. Gay Hostess, é uma filha de Royal Charger em Your Hostess, logo uma estrutura de Nearco, Mumtaz Begun, Alibhai e Boudoir. Enquanto Forest Prince é um filha de Fleet Narullah, em Queen Hostess, esta uma neta materna de My Host, o que evidencia outra estrutura de Nearco, Mumtaz Begun, Alibhai e Boudoir. 



Amigos, inimigos e indiferentes, em relação a minha pessoa, tenham a mais plena certeza, que as coisas não aconteciam a toa, nos tempos de Louis Meyer, Leslie Combs III e Verne Winchell. Elas tinham um sentido. A coisas eram feitas, não só visando tattersalls como também pista. Que eu acredito que seja o certo. Por isto pouco ou nada se perdia em pista. Lovin Touch foi capaz de vencer o Selene Stakes (Gr.3) e depois produzir uma Breeders Cup Juvenile winner, que por sua vez gerou a um ganhador do Travers.

Acho que West Coast virá a ser o Champion 3yo, ganhando ou não a Breeders Cup Classic, e creio que não estarei errado. Ele justamente com o Kentucky Derby Winner, Always Dreaming, são os dois únicos três anos a ganhar duas provas de graduação máxima e enquanto West Coast mostra franca evolução, Always Dreaming, parece estar descendo a ladeira. Ganhar de seu companheiro de barn Arrogate, não será tarefa fácil, embora o tordilho esteja naquela fronteira do vamos a ver, ou mais nada a mostrar. 

Prix de l'Arc de Triomphe 2003

Arc de Triomphe 2004 - Bago

Arc de triomphe 2002 - Marienbard

PAPO DE BOTEQUIM: FUJAM DOS ELETRICISTAS

O que se escreve fica. Ontem um amigo meu lembrou de uma nota que publiquei a exatamente sete anos atrás. Ele a guardou e me passou um email com a mesma. Teve a pachorra de levantar quem foi o agente que trouxe, cada um deles. Só sete não foram identificados e pasmem, 18 destes eletricistas foram trazidos por um único agente. Que ainda está vivo e tremendamente atuante. Eu mesmo tenho a minha particula de culpa, pois, indiquei a Tap Shoes. E o restante, até que possam provar ao contrário, quem o comprou, é o culpado... Aqui vai o artigo, que me pareceu válido ser publicado novamente.

Dias atrás iniciei uma nota dizendo assim: Pedigree não é massa de bolo. Outrossim imediatamente conclui que há de se convir que quando todos os ingredientes são trazidos ao mesmo local e juntados da forma que a genética exige, se ela funcionar dentro de seus misteriosos mistérios, existirá uma razoável possibilidade do raio cair no mesmo lugar por uma segunda vez. Não será fácil, pois, mesmo no caso dos irmãos inteiros, não muito grandes são as chances da fórmula do sucesso funcionar por uma segunda vez.

Federico Tesio tinha uma forma de pensar. Ele tinha claro em sua mente, que um reprodutora selecionado pelos critérios por ele erigidos, podia - se coberta com o cavalo certo - produzir ao ser superior. Repetia o cruzamento, e quando este funcionava, sabedor que sua reprodutora, a partir daquele momento, tornara-se fashionable aos olhos do mercado, a vendia. E com o dinheiro adquiria a outra. Ademais que ele não era um homem de apenas um strike. Sabia como fazê-lo e repeti-lo em outra receita. 

Realmente, levando-se em consideração as estatísticas que mantenho por minha própria iniciativa, garanto-lhes que poucas são as reprodutoras que conseguem produzir dois ganhadores de grupo. Logo, dentro das leis das probabilidades o velho senador italiano, achava que uma nova fresh mare lhe daria percentualmente, mais chances de acesso a novo sucesso.

Mas para isto, têm que ser saber, exatamente o que está acontecendo em seu quintal. E no caso dele, ele sabia, como poucos.

O Príncipe Khaled Abdullah e H.H. Karim Aga Khan, para mim dos dois cinco mais importantes criadores da atualidade, usam outro método. Eles mantém certas linhas maternas ao seu limite máximo. Chegam ao cumulo de ter uma reprodutora que durante três , quatro, ou mais gerações nada tiveram de produzido de valor clássico por suas mães, avós, bisavós e tataravós, e ai um dia o milagre genético se conclui e pinta uma Zarkava, no pedaço. Todavia em minha opinião, para que isto aconteça, são necessários três fatores do qual não se pode s abrir mão:

Muito dinheiro e inesgotável paciência
O não uso dos chamados eletricistas. Aqueles reprodutores que cortam a linha de transmissão clássica.Ter completo discernimento que campanha em pista é um louvável componente, mas não aquele que deve ser levado a sério com o maior vigor. A linha materna é o boi!

O criador que tiver como premissa básica a utilização de tão somente éguas clássicas, ou aquelas que produziram elementos clássicos, normalmente vai dar com os burros d’água. E estará fadado a fechar seu estabelecimento de cria com percentuais de acerto clássico abaixo dos 2%. Isto não é uma opinião. Isto é um fato, consubstanciado em resultados.

Semanas atrás um excelente ganhador da Poule d’Essai de Poulains, desbancou a dois elementos considerados pela critica especializada e por mim, como os dois melhores milheiros do mundo, em atividade na pista de grama: Goldikova e Paco Boy. Seu nome Makfi.

Makfi, em termos estruturais tem um pedigree acima de qualquer suspeita, porém, que teve o ensejo de analisar a campanha de suas mãe verá que seu criador estava mais centrado em somar um bom números de chefes de raça no pedigree e provê-lo de imbreeds que consolida-se os pontos fortes do mesmo, do que elas fizeram em pista.

Pois bem, para se tornar uma história longa, curta, a mãe de Makfi não correu, sua segunda mão não conseguiu sequer se colocar em duas temporadas e sua terceira mão não correu. Mas elas descendem da linha 16-c, por um dos seus veios mais nítidos na produção de elementos clássicos. Makfi, pertencia - por assim dizer – à banda podre. Outrossim, sua segunda mãe produziu a dois ganhadores de grupo. Não tão boa como sua terceira mãe, que produziu sete black type horses, sendo quatro dos mesmos, ganhadores de grupo e três reprodutoras rotuladas de classic producers. Logo. Makfi, pertencia - por assim dizer – à banda podre. Aqueles chamados veios laterais.

Mas aqueles que montaram a estrutura do pedigree materno da mãe de Makfi, tomaram o cuidado de não se utilizar de eletricistas, sempre acreditando que um dia, o seu não ativo ramo, traria a tona o classicismo que Sly Pola imprimiu à sua descendência. Foram usados na consecução primeiramente Val de Loir, pai da não corrida Green Valley, depois nela Irish River o pai daquela que não conseguiu se colocar Irish Valley e finalmente Green Desert, o pai da também não corrida Dhelaal. E no momento máximo chegou-se a Makfi. O caso de Zarkava é ainda mais impressionante. E muitos outros podem ser relembrados à simples observação de seus respectivos pedigree.

Não sou nem nunca serei o apologista do cavalo que não correu ou que foi matungo, mas por ter um grande pedigree deve ser levado a cria. Mas nos casos das fêmeas, creio que devamos ser mais condescendentes, pois, os resultados estatísticos assim o tem provado. O problema é driblar os eletricistas, principalmente os irmãos dos irmãos. Lembram-se de Arizelos, Golden Swan, Foyt, Circinus, Un Etandart...

Se para uma reprodutora é difícil produzir a dois ganhadores de grupo, imaginem dois reprodutores de sucesso!


Imediatamente alguém poderá me perguntar qual seriam s maiores eletricistas que tive o ensejo de notar. E eu diria, que existem alguns que receberam chances enormes e se afundaram em sua total iniquidade reprodutiva. Quais? Que tal só entre os trazidos do hemisfério norte, que estejam já mortos ou abolidos do mapa, pois razões de não aumentar ainda mais meu quadro de inimigos. Nomes tais como os quatro acima citados e mais Adam’s Pet, Anatol, Arlequino, Bull Run, Bare Minimum, Battle Plan, Balzac, Benefice, Blue Stag, Basim, Capitain’s Gig, Crown Bowler, Capo Bon, Carnival Baby, Cavo d’Oro, Cut Above, Darda II, De Quest  Duke of Marmelade, Eastern Mystic, Fortunate Dancer, Frankly Perfect, Frenchman’s Creek, Filago, Ghazwan, Gordian, Head Table, Infamous Deed, Kings Catch, Last Light, Magnasco, Mo Bay, Major Green, My Style, Never Doubt, Nalanda, Norwegian, Patch, Passing Base, Reve Dorê,  Robamma, Regimen, Pardallo, Sirius, Sea Treck, Silver Supreme, Stouci, Shahranpour, Shangamuzzo, Sirius, Solstein, Siesmic Wave, Sillage, Sporting Yankee, Tournevant, Tom Playfair, Tap Shoes, Turville, Van houten, White Clover, Western… É mole ?

HORSES








EM CHARLES TOWN FOI DIA DE OAKS


EM PARX




EM BELMONT PARK