HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
JOLIE OLIMPICA BRAZILIAN CHAMPION 2YO - HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
NEPAL GAVEA´S CHAMPION 2YO - HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
Santa Maria DE ARARAS: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS ESTRELA NOVA

HARAS ESTRELA NOVA
Venha nos conhecer melhor no Instagram @haras.estrelanova.

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS FRONTEIRA

HARAS FRONTEIRA
HARAS Fronteira

HARAS ERALDO PALMERINI

HARAS ERALDO PALMERINI
HARAS ERALDO PALMERINI a casa de Lionel the Best (foto de Paula Bezerra Jr), Jet Lag, Estupenda de Mais, Hotaru, etc...

HARAS CIFRA

HARAS CIFRA
HARAS CIFRA - HALSTON POR MARILIA LEMOS

HARAS IGUASSU

HARAS IGUASSU
HARAS IGUASSU A PROCURA DA VELOCIDADE CLÁSSICA - Foto de Karol Loureiro

HARAS OLD FRIENDS

HARAS OLD FRIENDS
HARAS OLD FRIENDS, vendendo diretamente toda a sua geração

segunda-feira, 4 de julho de 2022

ZUSHA UMA COLOCADA EM PROVAS DE GRUPO
POR NOS SELECIONADA\
NAS VENDAS DE KEENELAND
PARA O RAFAEL STEINBRUCH
PARIU UM PRODUTO DE CANDY RIDE

E AGORA SE ENCONTRA CHEIA DE NYQUIST







 

BOM DIA


 HOJE AQUELE QUE CONSIDERO 
O MAIOR ESPETÁCULO DA TERRA 
TERÁ SUA ATENÇÃO DIVIDIDA 
COM OS FOGOS DE ARTIFICIO 
QUE FAZEM PARTE DO FESTEJOS DE 4 DE JULHO, 
O DIA DA INDEPENDÊNCIA NORTE-AMERICANA.

UM BOM DIA PARA TODOS
E NOS VEMOS AS 21,3O HORAS
NA LIVE DO NINHO DO ALBATROZ

Candy Ride - All his races

SAUDADES DO RIO

NÃO É PARA SE SENTIR SAUDADES
DE ALGO ASSIM ?


FOTO DE CHRISTIAN SCHLEGEL 

 

PONTO CEGO ESPECIAL: UMA NOTA EXPLICATIVA

Cobraram um comentário meu, sobre um fato recentemente acontecido.

Filo di Arianna acaba de vencer, neste fim de semana, um alowance em Woodbine - Canada -  na pista sintética, que para mim, sempre foi uma alternativa para o cavalo brasileiro que ainda não atingiu o patamar de carreira necessário para figurar com êxito na mais alta esfera clássica norte-americana, a de grupo.

Filó, como Leroidesanimaux , saiu cedo do Brasil. Não que queira comparar a capacidade locomotora de ambos, mas Leroi, teve a sorte de pegar Bob Frankel e foi trazido por seu proprietário. O que para mim faz uma tremenda diferença. Ao passo que Filó foi adquirido por interesses norte-americanos e caiu nas mãos de Mark Casse, que sem dúvida algumas é um treinador acima da média, mas longe de ser um Frankel.

O Ninho do Albatroz, estabeleceu como altura do sarrafo, as provas de grupo e Filó ate aqui, nas duas que participou não foi feliz, depois de uma estréia auspiciosa nos Estados Unidos, em prova de âmbito normal. Ele precisava de retroceder em suas expectativas e embora tenha participado em um forte allowance para os padrões canadenses, - e o fez muito bem, diga-se de passagem - os dois animais de esfera clássica que veio a bater, são igualmente elementos que até aqui não demonstraram capacidade locomotora convincente nas esfera de grupo norte-americana.

O tapeta e o Canadá, são dois detalhes que os verdadeiros cavalos clássicos norte-americanos dificilmente coabitam. Logo, um porto mais do que seguro, para aqueles que procuram a reabilitação, ou a sedimentação de seus propósitos. 

O filho de Drosselmeyer, foi um pouco veloz ao pote, e queimou a língua. Seu retrocesso foi inteligente, pois, reagrupou suas forças, e agora à espera de um maior amadurecimento e completamente aclimatado, vai chegar aos poucos a sua hora de tentar reaver sua posição, na esfera de grupos, de um mercado bem mais competitivo que o nosso.

AQUI ESTÁ FEITA A NOTA.

PS1 - A foto usada e tirada esta manhã pelo Christian Schlegel, versa sobre o maior espetáculo do planeta - segundo eu e o John  Lennon, não necessariamente nesta ordem - e que tem no Rio de Janeiro, um de seus principais palcos.

UM ARCO REPLETO DE GRANDES FEMEAS

 


Há algum tempo, um Grand Prix de Saint-Cloud (G1) parecia ser concorrido com tanta qualidade. Apenas as presenças do ganhador do Derby irlandês Hurricane Lane e ga égua tordilha Alpinista, serviam como cartão de visitas para a guerra que parecia se formar na carreira. Mas na hora H, Hurricane Lane se recusou a sequer participar da carreira e a ganhadora do Grosser Preis von Berlin (G1) Alpinista fez de sua volta as pistas este ano, sua sétima carreira vitoriosa eww sequência.

Como uma filha de Frankel pode chegar a distância com tanta desenvoltura, perguntariam alguns. A resposta é simples, quando sw nota que Hernando, Darshaan e Crystal Palace, foram vencedores do Derby francês, quando este ainda era disputado na milha e meia.



Parece que este ano teremos um Arco com fêmeas espetaculares, vindas da Australia, da Alemanha, da Inglaterra e até do Japão. Quem viver, verá.

RAPIDINHAS DO TDN

 WINNING RETURN FOR ALPINISTA

By Tom Frary

Kirsten Rausing'Alpinista (GB) (Frankel {GB}) was making her comeback in Sunday's G1 Grand Prix de Saint-Cloud, but there was no sign of rustiness as she overwhelmed a deep field for a fourth consecutive top-level victory. Now unbeaten in her last six starts, including the G2 Lancashire Oaks, G1 Grosser Preis Von Berlin, G1 Preis Von Europa and G1 Grosser Preis Von Bayern, the Sir Mark Prescott-trained grey was held up early travelling notably strongly for Luke Morris in rear of mid-division. Unleashed wide at the top of the straight, the 8-1 shot rolled by the progressive Fabre trainee Baratti (GB) (Frankel {GB}) a furlong from home en route to a 1 1/4-length success, with Bubble Gift (Fr) (Nathaniel {Ire}) a neck away in third. There are worrying signs for connections of the 4-5 favourite Hurricane Lane (Ire) (Frankel {GB}), as he weakened in early straight and beat only one rival.

SAMMARCO EDGES DEUTSCHES DERBY THRILLER 

By Sean Cronin


Hamburg's new starting stalls, wider than before, were the reason for a near 30-minute delay to Sunday's G1 IDEE 153rd Deutsches Derby and course technicians worked furiously on making necessary adjustments to the running rail so that they would fit the track. In the i650,000 contest itself, it was a matter of millimetres at the finish too as Gestut Park Wiedingen's G2 Union-Rennen victor Sammarco (Ire) (Camelot {GB) denied the Markus Klug-trained duo Schwarzer Peter (Ger) (Neatico {Ger}) and So Moonstruck (Ger) (Sea The Moon {Ger}) in a thrilling conclusion to Germany's seasonal highlight.

Sammarco opened up with a neck defeat of subsequent sales- race scorer Alaska Tiger (Ire) (Maxios {GB}) when graduating over 7 1/2 furlongs in his Oct. 31 debut at Halle, his lone juvenile start, and returned to run second behind the reopposing Lavello (Ire) (Zarak {Fr}) in Munich's 10-furlong May 1 G3 Bavarian Classic on seasonal debut.

PONTO CEGO. NUMEROS PODEM ATÉ A EXAGERAR, MAS NUNCA MENTIR

O que faz de um reprodutor, poder se considerado diferenciado? Eu acho que quando ele muda o patamar de onde serve.  Foi o caso de Acteon Man, que sem pretenções de vendas de coberturas, conseguiu com menos de 50 produtos registrados, um ganhador do Brasil, Belo Acteon e um do Derby carioca, Famous Acteon.

O mesmo estou vendo acontecer com outro elemento nacional, que começou sua tarefa no breeding-shed, como Acteon Man, tendo o apoio apenas de seus proprietários. Il Doge que com poucos produtos registrados já consegue produzir a um ganhador do Derby paulista, Planetário e uma ganhadora do Roberto e Nelson Seabra, Primeta. E ai? O desprezo que foi dado a Acteon Man será repetido no caso de Il Doge? Até quando nossa criação aceitará desaforos como estes?

O desprezo para com o elemento nacional, que nosso mercado nutre, principalmente não sendo ele fashionable, realmente me irrita muito. Acteon Man bateu a um ganhador do Pellegrini e outro de São Paulo, na distância de 2,400m e o fez de ponta a ponta. Il Doge, foi invicto aos dois anos e a seguir retirado. Logo, seriam dois elementos acima de qualquer suspeita. E que certamente bateriam a 90% dos que aqui aportaram cheios de moral.

Estarei eu delirando? Talvez, mas me custa crer que Planetário por exemplo na milha e meia fosse perder para Drosselmeyer. Aliás, quantos ganhadores do Derby paulista e do Roberto e Nelson Seabra filhos de Drosselmeyer, tem-se até aqui, com o norte-americano tendo um quantidade maior e qualidade superior de éguas? ZERO !

E olha que Drosselmeyer está entre os melhores resultados entre os reprodutores importados que temos em atividade, atualmente na criação brasileira. Não estamos no reportando a Sinndar ou Sagamix...

Números podem até exagerar, aceito, mas quando o resultado é dois a zero, eliminam-se os exageros e firmam-se as superioridades.

AVISO AOS NAVEGANTES


Não fazem muitos dias, saiu no Thoroughbred Daily News, - e fiz questão de reproduzir seu início no blog - uma reportagem sobre o baixo índice de comparecimento nos Estados Unidos, de concorrentes em provas graduadas. E justificativas foram analisadas, das quais concordei com algumas e discordei de outras.

Como sempre gosto de fazer minhas próprias pesquisas, pois, como São Tomé, ainda prefiro ver para crer, e desta forma, este sábado passado, levantei a situação nas 16 provas de grupo disputadas nos continentes Norte-americano e Europeu. Com apenas uma de graduação máxima. E o número médio de participantes foi de apenas sete elementos.

A menos comparecida com quatro e as mais concorridas com 11.

Seria pouco?

Arrisco a dizer que sim, pois, para mim 10 seria o número ideal. Mais do que isto, complica.

Esta semana tivemos quatro acontecidos que superam as mais otimistas perspectivas, dentro daquilo que se conceitua como normal. As apresentações de Life is Good e Charge it, foram no mínimo sublimes. Sem exagerar, arrasadoras. A recuperação de Free Wind a 300 metros do disco, onde por duas vezes foi exprimida na cerca, quase caiu, e mesmo assim ainda ganhou por mais de dois corpos, confesso que nunca tinha presenciado algo similar. E a 200 metros do disco, ver seis ganhadores de grupo - sendo cinco de graduação máxima - emparelhados no Eclipse stakes, no mínimo me tirou do sério.

Pois bem, excitantes as corridas tem parecido ser. As bolsas, principalmente do lado norte-americano, parecem envolventes. Então o porque do êxodo?

Hoje a noite, as 21.30 horas, na live do Ninho do Albatroz, na plataforma do You Tube, este será um dos assuntos, além de recebermos, o José Luiz Polacow, para nos contar como foi a odisséia dele e de seus companheiros, em montar um grupo de cavalos para desbravar o turfe norte-americano.

Na live, que tenta ser a mais rápida do turfe, damos valor aos destaques, sejam eles os que forem. Não passamos pano, nem criticamos apenas pelo fato de criticar. É apenas um papo de botequim, entre amigos e pretende assim permanecer. 

Agradecemos a nossos quatro patrocinadores e dois apoiadores, que são na realidade a razão deste bloco, toda segunda a noite, sair para as ruas fazer o seu desfile. E eu particularmente ao Edson, ao Marcel, ao Gil e aqueles convidados que aceitam a missão de nos aguentar, pelo tempo dispendido e pela expertise dada à live.

Objetivos?

Não pretendemos ser os maiores, mas com certeza tentaremos ser os de maior conteúdo.

RAPIDINHAS DO TDN

 LIFE IS GOOD, OLYMPIAD HEADED FOR WHITNEY CLASH

The connections of impressive Saturday graded stakes winners Life Is Good (Into Mischief) and Olympiad (Speightstown) reported Sunday that both horses came out of their efforts well and are likely headed for a star-studded matchup in the Aug. 6 GI Whitney S. at Saratoga.

Life Is Good, this year's GI Pegasus World Cup Invitational S. romper, bounced back from a fourth-place finish in the G1 Dubai World Cup with a dominant five-length score in Saturday's GII John Nerud S. at Belmont, earning a 112 Beyer, tied for the second-highest figure of 2022.

INDEPENDENCE DAY ACTION HIGHLIGHTED BY GREAT LADY M

by Christina Bossinakis

Historically, Independence Day racing had served up a smorgasbord of delectable graded action throughout the U.S. Since the advent of the 'Super Saturday' format instituted in many of the nation's biggest racing jurisdictions in more recent times, however, July 4 racing has felt a little more abstemious than gourmand. Underscoring the point, this year's holiday racing schedule features a single graded stakes race, the GII Great Lady M. at Los Alamitos.

Formerly the Sequoia H., the Great Lady M. was initially contested over seven furlongs at Hollywood Park in 1941, when it was won by movie mogul Louis B. Mayer's Painted Veil. KO'd by World War II the next two years, it returned in 1944 as a race for juvenile fillies at six furlongs. Not held from 1947 through 1958, the race resumed in 1958 once again featuring older horses, and in 1986, it was upgraded to a Grade III before gaining Grade II status in 1990. Renamed the A Gleam H. in 1979, the contest finally garnered the name of the Great Lady M. in 2013, when moving to Los Alamitos following the closure of Hollywood Park. The race's namesake, trained by Hall of Fame trainer D. Wayne Lukas, won the 1980 renewal of the A Gleam, far surpassing her racing accomplishments as a broodmare after foaling 1986 Horse of the Year Lady's Secret (Secretariat).

While last season's 6 1/2-furlong test for filles and mares served as a stage for an embarrassingly easy 10-length romp by the 2020 campion female sprinter Gamine (Into Mischief), the 2022 edition of the race doesn't appear to have a filly of that caliber in its midst, although Nick Alexander's Becca Taylor (Old Topper) has proven dominant on the left coast, having won eight of nine starts, including Santa Anita's GIII Desert Stormer S. June 4. A debut winner at Los Al during her juvenile season, the California-bred has registered wins at four different California tracks, having only tasted defeat once when nosed out for the win while facing statebreds in the grassy Irish O'Brien S. Mar. 19.

Also included among graded stakes winners in this year's renewal are Ain't Easy (Into Mischief), last term's GII Chandelier S. scorer, who also finished third in a pair of Grade II races in 2022, and GII Sorrento S. victress Elm Drive (Mohaymen), winner of her sole start in 2022 in the May 8 Angels Flight S. at Santa Anita.



PAPO DE BOTEQUIM. O PODER CADA VEZ MAIOR DA TRIBO NORTHERN DANCER

Fica cada vez mais complicado negar a importância de Northern Dancer na genética moderna. Negar sua dominância é mais ridículo ainda. Chega a seára do bizarro. Do inconcebível. Agora aceitar que ele não tenha estabelecido uma tribo, me parece assaz ilógico.

Sua dominância se dá em todas as linhas principais de um pedigree moderno. E isto fica simples de ser provado. por exemplo, em um semestre de campanha, um avô materno para ser considerado extraordinário, deve estar com seu sarrafo postado acima dos que geraram mais de 10 individuais ganhadores de grupo. este ano temos apenas três que o conseguiram. Giants Causeay com 18 individuais ganhadores de grupo, sendo cinco o dos mesmos em esfera máxima. Seguido por Galileo com 13 individuais ganhadores de grupo, sendo três dos mesmos em esfera máxima. E Encosta de Lago com 11 individuais ganhadores de grupo, sendo dois dos mesmos em esfera máxima.

São três descendentes da tribo Northern Dancer, por três veredas distintas,  estabelecidas por seus filhos Storm Bird, Sadler´s Wells e Fairy King. Não muito distante aparecem mais dois descendentes da tribo Northern Dancer, pela vereda Danzig,  Anabaa com 10 individuais ganhadores de grupo, sendo dois dos mesmos em esfera máxima e Redoute´s Choice com nove individuais ganhadores de grupo, sendo quatro dos mesmos em esfera máxima.

Note-se a significante presença de dois elementos sediados na Austrália, - a morada dos Danehills - Encosta de Lago e Redoute´s Choice. Pois bem, entre aqueles capazes de gerar até aqui mais de cinco individuais ganhadores de grupo, estando sediados no continente da Oceânia, cabem ser citados, Fastnet Rock, High Chaparral e Exceed and Excel. Todos e eu disse TODOS, descendente da tribo Northern Dancer.

Isto de alguma forma, não garante que nos dois hemisférios, Northern Dancer reina, entre os reprodutores e os avôs maternos de maior prestígio no mercado? 

GANHADORES DE GRUPO NO JAPAO

 



domingo, 3 de julho de 2022

IDEE 153. Deutsches Derby - Gruppe 1




Fourth Group One! ALPINISTA and Luke Morris return with victory in Grand...

Sparkasse Holstein Cup - Gruppe 3

Mehl-Mülhens-Trophy - Gruppe 3

GANHADORES DE GRUPO NA ALEMANHA



 

BOM DIA

NADA A COMENTAR
TUDO A CONTEMPLAR
UM BOM DIA PARA TODOS
 

2022 John A. Nerud Stakes Race Replay plus post race analysis ( Life is ...


ELE ESTA DE VOLTA
E MAIS AMADURECIDO


LIFE IS GOOD AS EVER

The uber-talented 'TDN Rising Star' Life Is Good (Into Mischief), last seen tiring to fourth in the G1 Dubai World Cup Mar. 26, returned from the bench in style with a dominating, front-running win sprinting over three rivals in the GII John A. Nerud S. at Belmont Park Saturday.

Away alertly from his rail draw, the 1-5 favorite was shadowed by GI Carter H. winner Speaker's Corner (Street Sense) through an opening quarter in :22.19 and a half-mile in :44.70.

With Flavien Prat sitting chilly, Life Is Good hit the far turn racing in the four path while Jose Ortiz was already getting busy aboard Speaker's Corner. Life Is Good kicked for home in complete command and showed his class down the stretch en route to an eye-catching, five-length victory. Speaker's Corner was second.

The GI Breeders' Cup Dirt Mile winner and GI Pegasus World Cup Invitational S. winner will make his next start in the
1 1/8-mile GI Whitney S. at Saratoga Aug. 6.

23 length win! Charge It puts in monster display in Dwyer romp!



CHARGING INTO THE SECOND HALF OF THE SEASON

The lightly raced 'TDN Rising Star' Charge It (Tapit), a forgettable 17th with a nightmare trip in the GI Kentucky Derby, put it all together with a jaw-dropping victory in Saturday's GIII Dwyer S. at Belmont Park.

The rail-drawn 3-5 favorite--a green second while making his stakes debut at third asking in the GI Curlin Florida Derby Apr. 2 --pressed Fluid Situation (Warrior's Reward) from second while racing in tight quarters along the fence here.

Hall of Famer Johnny Velazquez bulled his way into the clear after brushing with the tiring maiden winner and second choiceNabokov (Uncle Mo) at the five-eighths pole and the gray put on an absolute show from there. Charge It cruised to the front a quarter of a mile from home and was kept to task down the stretch to win by a devastating 23 lengths. Longshot Runninsonofagun (Gun Runner) was second; Fluid Situation was third.

DRAMA! Free Wind overcomes significant interference to win the Lancashir...

VOCÊS TESTEMUNHARAM
ALGO COMO ESTES
200 METROS FINAIS?

MEMORIA AFETIVA POR MARCELO AUGUSTO



         Na ultima live do Ninho, o José Carlos Fragoso Pires Junior contou a operação de compra do cavalo Mogambo, que na realidade era para ter sido do craque local Cinzano e a incrível história deste cavalo que pouco tempo depois foi exportado para os EUA e envolvido numa fraude de trocas de cavalos. Por curiosidade fui buscar informações sobre o assunto no acervo de turfe do Jornal O Estado de São Paulo, e o que apurei foi que a fraude ocorrida em Nova York, envolvendo a troca dos animas Lebon e Cinzano na época foi um escândalo de grandes proporções, envolvendo FBI e demais orgãos de justiça. O uruguaio Cinzano era o craque local em seu país de origem e foi adquirido por 85 mil dólares, enquanto Lebon de categoria muito inferior, foi adquirido no mesmo pacote por 2 mil dólares. Quem tratou da operação foi o veterinário Mark Gerard que os levou para sua propriedade em Muttotown, em Nova York e foi ali que pouco tempo depois foi informado que o Cinzano havia sofrido um acidente e tinha sido sacrificado. Na época Cinzano havia sido revendido por 150 mil dólares e Lebon por 8 mil e 500 dólares. Pela morte do Cinzano, seu proprietário Jaseph Taub recebeu um seguro de 187 mil dólares. O Lebon estreiou num pareo com bolsa de 10 mil e 500 dólares, fracassando e pouco tempo depois foi inscrito numa prova de 16 mil dólares e venceu firme com um rateio de 57 por 1. Teve um apostador que recebeu uma aposta de 87 mil dólares. A fraude de trocas de animais foi denunciada pelos uruguaios. Um jornal local, 3 semanas depois da vitória do suposto Lebon, solicitou fotografia da vitória para a divulgação do feito e ao receber o material o jornalista especializado constatou imediatamente que não se trava do Lebon e sim do Cinzano. O veterinário responsável pela fraude, Mark Gerard, num primeiro julgamento foi condenado a 1 ano de prisão mais multa. O Cinzano foi desclassificado como atleta e foi leiloado pela justiça americana por 7 mil dólares.  

          Ainda sobre a última live, até por conta do tempo, achei que ficou faltando mais dissertação sobre o GP Roberto e Nelson Grimaldi Seabra, principalmente pela grande apresentação da segunda colocada Deusa que perdeu no ultimo galão. Ela confirmou que sua vitória no OSAF em São Paulo não foi obra do acaso e se tivesse vencido o placar teria sido 3 a 1 para o turfe paulista, pois mesmo sendo treinada no Paranám, suas maiores conquistas foram em Cidade Jardim. 
          Nesta semana, em troca de mensagens com um colega, nos recordanos que a Over-Run, 3ª mãe de Primeta, que já está merecendo ser alçada com o título de matriarca, é neta de uma égua chamada Springfield, por Cigal. Essa égua eu vi correr defendendo a farda do Stud Karlaren, que salvo engano, era do Edson Alexandre. Springfiel é mãe da égua Tontura, ganhadora de provas de grupo 2 e 3 e mãe de ganhador de grupo 

PONTO CEGO: A ENGENHARIA GENÉTICA

Falam do tamanho da torcida do Flamengo, mas eu me pergunto seu número seria maior que o de advogados brasileiros? Para se ter uma ideia, outro dia tomei conhecimento pela televisão que somente no Brasil, existem nada menos que 1240 cursos superiores de direito, enquanto no resto do planeta terra, somados, o número não excede de 1,100 . Imaginem o que esta proliferação de vendas de diplomas gerou? A OAB...

Está certo que proliferações geram números altos. É assim com os Northern Dancers e os Mr. Prospector. Mas também foi assim com o Nasrullah, os Man O´War, os Hyperions, os Tourbillons e os Blandfords. Mas a lei das dominâncias tratou de equilibrar os polos. Os que dominam proliferam-se. Os dominados, desaparecem paulatinamente. Pena que não aconteça, o mesmo processo, com os maus advogados... 

Outro dia em conversa com o Rafael Strainbuck, descobri que eles - falo do Red Rafa - adquiriram uma parte maior em Alpha, por ele ser um bisneto da Canadian Oaks winner, Kamar. E assim irá cobrir as filhas de Cape Town, um neto desta mesma Kamar, objetivando em todos cruzamento um imbreed nesta importante matriarca na razão 3x4 explorando as linhas maternas. Para mim um "must". 

A isto denomino engenharia genética. 

O mesmo se agrega ao cobrir filhas de Yagli do Red Rafa, com Can the Man, com isto estabelecendo também em linhas maternas duplicações na broodmare of the year,  Best in show, avó do primeiro e bisavó do segundo. Porque não irá funcionar? Seria utópica esta iniciativa do Rafael?

Temos que acreditar que duplicando alta classe, um salto atávico possa acontecer. Lord Derby acreditava, e não se arrependeu. As matriarcas escolhidas pelo Rafael, foram boas em corridas e excepcionais no breeding-shed. O que minimiza em minha opinião, em muito, o peso do risco.   

O mesmo que o H e R fez ofertando as filhas de Acteon Man a Momento de Alegria, sendo ambos descendentes de Clare Garden, mãe do primeiro e bisavó do segundo.

Vivemos um momento de carência genética. As duplicações e os imbreeds, são a maior chance que temos de alinharmos-nos ao que há de melhor no hemisfério norte. Não entendo, a relutâncias.         


AVISO AOS NAVEGANTES.


 Nós brasileiros, somos espaçosos. Sim nascemos assim e posteriormente somos criados para expandir ainda mais nossos limites. Aquela obrigação que o norte-americano se policia em seu dia a dia e que leva em consideração que a sua liberdade termina quando começa a do outro, não nos impressiona. Muitos a acham quadrada!

O Nelson Piquet, na eterna altura de sua irreverência, entrou em choque com o Louis Hamilton, porque o chamou de neguinho e não vê nada de mal nisto já que chama o Pelé de Negão e o puxador de samba da Beija-flor de Neguinho. Outrossim, ele esquece que são civilizações distintas e mesmo no Brasil de hoje, criou-se aquilo que acho ridículo, mas respeito, do politicamente correto, onde o bolo Nega Maluca está sendo vendido agora em algumas padarias, como Afro Descendente com Problemas Psicológicos !

Mas é como na dança. Mudou-se o ritmo, seu comportamento tenderá também a modificar-se. Você pode ate não concordar, mas tem que respeitar. Eu quando não aprovo, retiro-me, ou trato a situação com o silêncio que ela merece.

Acredito que da mesma forma deveria ser tratada quando não se concorda, com teses na criação de cavalos de corrida. A genética não é e nunca será uma ciência exata. Logo está sujeita a pontos e contrapontos. No que você acredita, meta a cara. No que duvida, ignore e deixe que na pista, as respostas sejam respondidas.

Defendo os imbreeds a décadas, e só agora aquilo que previ e venho defendendo, tomou consistência. O pedigrees com imbreeds funcionam com maior aproveitamento que os pedigrees abertos, em proporções que não deixam qualquer margem a dúvidas. Atºe ao sonho LuiZ... Porém, se a pessoa acredita em abrir seus pedigrees que os abra. Que os escancare. E pronto. Ninguém tem que dar pitaco. Agora se esta mesma pessoa consegue sucesso com sua empreitada, ela deve levar em consideração, percentuais. Quantos deram certo sendo produtos de pedigrees abertos e quantos os fizeram, carregando inbreeds, dentro de um determinado período.

Evidente que elementos espaçosos só atentam para seu espaço e consideram o do vizinho, irrelevante. Paciência, é o preço que se paga por nascer no pais de céu de cor de anil. Mas uma coisa é certa, se o Neguinho da Beija Flor não dá bola, e até explora seu apelido, o Lewis Hamilton, não. E ambos, craques no que fazem, devem ser respeitados. Agora imagina se o senhor Edson Arantes do Nascimento resolve processar a todo aquele que um dia o chamou de Negão? Ficaria mais rico que Elon Musk?

Na live do Ninho do Albatroz, cada um age pelo seu próprio instinto. É uma live sem uma pauta definida, que apenas tenta ser democrática, imparcial e leve, como um papo de botequim, entre pessoas que se respeitam. Você tem o direito de achar que as tribos, é um folclore, assim como as estruturas genéticas e as linhas tronco poderiam ser chamadas de Epaminondas. Também tem o direito de acreditar que aveia e pasto ganham corrida, que sem ovos pode-se fazer um excepcional omelete e que o turfe brasileiro vai bem, obrigado. Você decide.

O importante é que toda segunda feira, as 21.30 horas,, na plataforma da Revista Horse, no You Tube,  tentamos num espaço não muito superior a 60 minutos, ouvir convidados expor suas crenças e demonstrar a quem queixar que existe um mundo, fora de seu mundo. Que você tem o direito de discutir o Princesa do Sul, ou o Derby de Epsom. Pois, há gosto para tudo. Até para se votar no PT.

Nesta segunda próxima, você terá a oportunidade de ser informado como um grupo de criadores e profissionais brasileiros, tentaram nos anos 80, criar a primeira ponte sólida entre o turfe brasileiro e norte-americano. Saberão de suas dificuldades e suas conquistas. E terão ainda a oportunidade de tomar conhecimento de um pouco, do muito foi o haras Expert.

Junte-se a nós e a nossos patrocinadores, os haras Santa Maria de Araras e Figueira do lago, a agência APPS, aos fornecedores de vinho da InVino.doc e a nossos apoiadores o Raia Leve e o Turfe em Revista,  e compartilhe de nossas curiosidades trazendo as suas.

The Stephen Foster Stakes 2022 (FULL RACE) | NBC Sports




The Princess Rooney Invitational 2022 (FULL RACE) | NBC Sports





2022 Smile Sprint Invitational (G3) - Gulfstream Park




THE KENT STAKES RACE 7 MASTER 2022 07 02





THE DELAWARE OAKS RACE 6 MASTER 2022 07 02




The Fleur de Lis Stakes 2022 (FULL RACE) | NBC Sports




PAPO DE BOTEQUIM. LIMITADA GENÉTICA OU SIMPLESMENTE DESPREZO ?

Procuro sempre que possiíel, ver o sol nascer. E aqui em Hallandale Beach, este espetáculo é visível pelo menos 350 dias por ano. Me revigora e aguça meus sentidos. Outrossim me faz pensar. 

Vocês, meus fiéis navegantes já devem ter ouvido de alguém aquela celebre frase: do bom com o bom, há de vir o melhor. Vocês acreditam nisto?

Eu não. Acho que em certos casos sim, mas na maioria não.

Como decidir esta parada?

Much Better venceu sete provas de graduação máxima, e o único a completar a liga máxima, Grandes Prêmios Brasil, São Paulo, Pellegrini e Latino Americano (um na grama e outro na areia).

Bal a Bali, foi triplice coroado, ganhador de seis provas de graduação máxima, sendo duas delas nos Estados Unidos.

Falcon Jet, ganhou seis provas de graduação máxima, todas no Brasil.

Itajara, foi igualmente triplice coroado, invicto, mas ganhador de apenas quatro provas de graduação máxima, todas contra os de sua idade. 

Duplex ganhou quatro provas de graduação máxima em três diferentes países da América do Sul. Nenhuma no Brasil.

Na realidade, na maioria das listas dos experts, estes cinco elementos constarão como os cinco mais importantes machos, nascidos no Brasil, na era moderna. Como qualifica-los? Não sei, por isto prefiro coloca-los em um mesmo patamar e não os comparo, já que nunca vieram a correr entre si.

Uns dirão ser covardia. Outros sabedoria. Todavia para mim, o importante é trata-los como divindades, primeiro porque assim o merecem e segundo por determinarem diferentes parâmetros de qualidade na altura que estabeleceram o sarrafo.

Seriam eles mais importantes que Einstein e Pico Central, que nos Estados Unidos foram sublimes E como se decidir entre Ribolrtta, Immesity e Emerald Hill, levando-se em contas as fêmeas?

Sem um confronto direto, não há. como s comparar. Qulquer comparação será um mero palpite. Outrossim, a pergunta que está a anos engasgada em minha garganta, é porque nenhum deles estabilizou-se com louvor no breeding-shed? Tirotecnia ?

Itajara pode ter sido considerado acima da média, mas longe ide ser um sucesso consagrado. Teve 10 individuais ganhadores de grupo, mas apenas dois de graduação máxima. Seu melhor filho Siphon, fracassou como reprodutor.

Much Better e Falcon Jet tiveram ambos apenas sete individuais ganhadores de grupo, sendo que cada um, três dos mesmos de graduação máxima.

Bal a Bali, ainda não produziu sequer a um ganhador de grupo, nos Estados Unidos onde presta serviços. E Duplex apenas a um ganhador de grupo

Eisntein e Pico Central, no hemisfério norte, foram incapazes de gerar um único ganhador de grupo.

O que se deve isto? 

Deixo a meus navegantes o direito de tirar suas próprias conclusões. Mas para mim, não passa de um misto de limitada genética e um significativo desprezo por parte dos criadores.


BAL A BALI

UMA CAMPANHA INVEJÁVEL

BAL A BALI   (BRZ) dkb/br. H, 2010 {3} DP = 3-1-3-1-0 (8) DI = 2.20   CD = 0.75 - GSV = 47.95 - 26 Starts, 15 Wins, 1 Places, 4 Shows Career Earnings: $1,258,268
      Owner: Calumet Farm
    Breeder: Haras Santa Maria de Araras
  Winnings: 26 Starts: 15 - 1 - 4, $1,258,268

At 2: 1st GP Mario de Azevedo Ribeiro(BRZ-G3), GP Julio Capua(BRZ-G3)
At 4: 1st GP Brazil(BRZ-G1), GP Estado do Rio de Janeiro (BRZ-G1,NTR 1:31.36), GP Francisco Eduardo de Paula Machado(BRZ-G1), GP Cruzeiro do Sul(BRZ-G1), GP Doutor Frontin(BRZ-G2)
At 5: 1st American S.(US-G3,SA); 2nd Seabiscuit S.(US-G2,Dmr) 
At 6: 3rd San Gabriel S.(G3,SA), Frank E. Kilroe Mile S.(G1,SA), San Francisco Mile S.(G3,GG) 
At 7: 1st Shoemaker Mile S.(G1,SA), Frank Kilroe Mile (G1,SA)

Foaled September 22, 2010 - won debut race 
raced in Brazil & US, last raced 8/20/2017 Del Mar 
2014 Triple Crown winner & Horse of the Year in Brazil

 

GANHADORES DE GRUPO NO CANADA