HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
JOLIE OLIMPICA BRAZILIAN CHAMPION 2YO - HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
NEPAL GAVEA´S CHAMPION 2YO - HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
Santa Maria DE ARARAS: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS ESTRELA NOVA

HARAS ESTRELA NOVA
Venha nos conhecer melhor no Instagram @haras.estrelanova.

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS FRONTEIRA

HARAS FRONTEIRA
HARAS Fronteira

HARAS CIFRA

HARAS CIFRA
HARAS CIFRA - HALSTON POR MARILIA LEMOS

HARAS IGUASSU

HARAS IGUASSU
HARAS IGUASSU A PROCURA DA VELOCIDADE CLÁSSICA - Foto de Karol Loureiro

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

domingo, 26 de julho de 2020

PONTO CEGO: O TURFE ATUAL EXIGE MENTE ABERTA

Dentro de minha forma de analisar as diferentes situações, creio que no turfe, as provas de graduação máxima, principalmente no hemisfério norte, tem um forte poder de persuasão. Com raríssimas exceções, espelham verdades, sobre a capacidade locomotora de seus participantes. Elas separam os tigres, dos gatinhos selvagens. E neste ano atípico que vivenciamos, era esperada surpresas e elas apareceram.

Não em função de Galileo, que lidera o ranking, com cinco individuais ganhadores de grupo 1, mas com Champs Elysees, que vem logo a seguir com três. Eles foram ate aqui, os únicos reprodutores que conseguiram gerar a três ou mais ganhadores de graduação máxima no circuito do hemisfério norte. Kingman, Dubawi e Dark Angel, aparecem a seguir nesta amostragem com dois vencedores cada.

O fato de Deep Impact ter apenas um ganhador de graduação máxima até aqui, me surpreende, já que filhos seus, são os únicos a demonstrar potencial de ganhar provas de grupo em dois continentes do hemisfério norte.

O mundo do turfe globalizou-se. Você não pode mais pensar em sucesso local. Ele é importante, mas não passa de um bolha, com as limitações que uma bolha exige. Na mais alta esfera, ele tem que ter aspirações globais. E enquanto estas não florescem, a tentativa tem que se manter intensa. A Coolmore, detentora dos serviços, do mais importante reprodutor deste século, já atentou desta necessidade, e partiu para o uso de Deep Impact, mandando para o Japão algumas de suas melhores filhas de Galileo. Outros os seguiram. E creio que o sucesso obtido, propiciara que outros elementos do turfe europeu sejam usados, como Lord Kanaloa. 

Reprodutores do naipe de Lohnro, Exceed and Excel, Fastenet Rock e Redoute´s Choice, passaram a trabalhar por um breve período no sistema de duplo hemisfério. Quando que no século passado passaria na cabeça de um grande investidor trazer um reprodutor do hemisfério sul, para servir no norte? Era impensável. Quem assim o defendesse estaria perigando ser queimado vivo em praça publica.

Mas quando passava pela cabe de alguém que Austrália e Japão seriam o que são hoje? Passava na minha, mas eu era um jovem cheio de idéias e poucos resultados. Logo parti pelos resultados para que minhas idéias pudessem ser pelo menos ouvidas. Foram, é verdade, mas pouco copiadas.

O turfe moderno exige mente aberta. Não há mais espaços para dogmas e teorias abstratas.