HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
JOLIE OLIMPICA BRAZILIAN CHAMPION 2YO - HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
NEPAL GAVEA´S CHAMPION 2YO - HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
Santa Maria DE ARARAS: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS ESTRELA NOVA

HARAS ESTRELA NOVA
Venha nos conhecer melhor no Instagram @haras.estrelanova.

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS FRONTEIRA

HARAS FRONTEIRA
HARAS Fronteira

HARAS CIFRA

HARAS CIFRA
HARAS CIFRA - HALSTON POR MARILIA LEMOS

HARAS IGUASSU

HARAS IGUASSU
HARAS IGUASSU A PROCURA DA VELOCIDADE CLÁSSICA - Foto de Karol Loureiro

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

segunda-feira, 21 de setembro de 2020

PONTO CEGO: MOTIVADO POR UMA RACIOCÍNIO LÓGICO

 


O Covid-19 é um pé no saco. Outrossim pode ser enfrentado de uma maneira menos sacal que a gripe espanhola do inicio do século passado, pela simples existência de três elementos de comunicação: o telefone, a televisão e a internet. Imaginem, enfrentar este longo período de lockdawn, tendo que olhar apenas para o teto!

A comunicação fez toda a diferença. Foi o elemento diferencial. Ela manteve o mundo em contacto conosco. Nos entrerteu nas horas mais complicadas e nos manteve informados das medidas que estavam sendo tomadas.. Volto a concita-los, imaginem o mundo trancado em casa sem a Netflix, por exemplo. Haveria um suicídio em massa.

Hoje, aqueles que como eu, acompanham o turfe, tem acesso ao que acontece nos quatro cantos do mundo. Sim o mundo é redondo, mais ainda tem quatro cantos. E não é necessário mais se toma conhecimento do que está acontecendo dias depois do fato ocorrido.

Pois bem, sábado estava assistindo carreiras, que da madrugada aos meio dia, oscilaram do Japão, Austrália, África do Sul e Europa, quando resolvi tentar galgar outros mercados e com as provas dos Estados Unidos conectadas, consegui ter acesso ao Peru. E lá pude assistir a duas provas de graduação 3, os clássicos Juan Margot Rosuello e o Associacion de Propietarios de cavalos de carreira do Peru. Na segunda, algo me chamou bastante atenção. Um. cavalo norte-americano o ganhou.

Não que não seja constante os cavalos norte-americanos ganharem no Peru. E mais do que usual, pois, naquele centro, cria-se pouco e compra-se muito no mercado norte-americano e a proximidade bem como sua localização no hemisfério, facilitam em muito o intercâmbio.


Will Take Charge (fotos de abertura e acima), foi um cavalo de primeira linha em pista. Criado em purpura, já que tanto seu pai Unbridled´s Song quanto sua mãe Take Charge Lady, foram corredores graduados na mais alta escala e transmissores, ambos de classe. E ele próprio além de também o ser, pelo menos em pista, veio a ganhar quase US$4,000,000 em prêmios. Todavia, mesmo sendo aproveitado reprodutivamente num dos principais haras de Lexington, foi incapaz de gerar um ganhador de grupo sequer e passou a ser má palavra no mercado. E olha que fisicamente seus produtos agradavam.

Esta desmamada que se segue, foi uma potranca da qual fui lance perdedor em Keeneland. Graças ao bom Deus, pois, em pista como a quase totalidade de seus irmãos, pouca qualidade provou vir a ter.

Este é um dilema difícil de ser resolvido. O reprodutor que transmite um fisico bom, é prepotente e ao mesmo tempo tem pequena capacidade de transmissão de classe. E você só descobre isto, já com duas gerações fracassadas em pista, três por correr e uma na barriga. Pois se fiou nas qualidade físicas dos produtos.


Porém, seu filho Esidio, uma quatro anos, alazão como ele, além de ter vencido o Associacion de Proprietários, vinha já de ter ganho uma prova de graduação máxima no areião de Monterrico. Uma andorinha não faz um verão, dizia vó Adelina, e realmente no turfe que milito, uma vez pode ser sorte, duas coincidência e só a partir de três, que as coisas passam a ter crédito, muito mais tem que ser feito para que coisas sejam provadas. E o pedigree de Esidio, tem uma estrutura genética difícil de ser ignorada. E quase impossível de ser repetida na América do Sul.

Como pode ser notado acima, torna-se destacável o fato dele ser imbreed em Mr. Prospector, Deputy Minister e Secretariat, três chefes de raça de alto padrão, consagrados no dirt, bem como seu pai em Fappiano e sua mãe em Raise a Native, outros dois chefes de raça melhor adaptados ao dirt. Até os dois linebreeds que mais me chamaram a atenção ele possuir o de Nasrullah consubstanciado em nove diferentes mensageiros, sendo seis deles distintos, todos machos e o em Bull Dog com 10 mensageiros, oito distintos, sendo três fêmeas e cinco machos tem referência ao dirt. Pois, ambos chefes de raça que se consagraram na terra do dirt.

Pois bem respondo, a aquele que me arguiu, porque não ter um criador brasileiro trazido Will Take Charge para o Brasil e sim preferiu levá-lo para o Uruguai. Ai me parece estar a resposta. Afinal, até que me possam provar ao contrário, ele . que foi um cavalo também do dirt - poderá de dar melhor, em centros que não tenham seu principal enfoque clássico na grama.

Não acho que uma mudança de hemisfério irá radicalmente mudar a forma de Will Take Charge transmitir, algo que está provado em termos de números, que foi incapaz de fazê-lo em seu país de origem. Atesto, como exemplo maior, Invasor, Smarty Jones - grandes cavalos em pista e fracassos contundentes no breding-shed norte-americano - e outros, que não conseguiram se firmar no hemisfério norte e estão repetindo a dose no Uruguay, país do hemisfério sul.

Pelo menos, é o que um raciocínio lógico pode concluir.