HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
JOLIE OLIMPICA BRAZILIAN CHAMPION 2YO - HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
NEPAL GAVEA´S CHAMPION 2YO - HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
Santa Maria DE ARARAS: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS ESTRELA NOVA

HARAS ESTRELA NOVA
Venha nos conhecer melhor no Instagram @haras.estrelanova.

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS FRONTEIRA

HARAS FRONTEIRA
HARAS Fronteira

HARAS CIFRA

HARAS CIFRA
HARAS CIFRA - HALSTON POR MARILIA LEMOS

HARAS IGUASSU

HARAS IGUASSU
HARAS IGUASSU A PROCURA DA VELOCIDADE CLÁSSICA - Foto de Karol Loureiro

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

terça-feira, 29 de setembro de 2020

PONTO CEGO. A LIDERANÇA DA GERAÇÃO CARIOCA SEGUNDO ADOLPHO SMITH DE VASCONCELLOS

Foto Karol Loureiro

 Grande Criterium – GP Linneo de Paula Machado (G1)
 
Sobre o grupo 1 para os animais de 3 anos, parecia um páreo bem a jeito para Jackson Pollock, filho de Kodiak Kowboy, em que pese a falta de adaptação dos filhos do último às distâncias maiores.
 
Mas, como nenhum dos animais havia ainda abordado a distância da prova (2.000 metros), o que se viu foi uma razoável divisão na pedra de apostas, vez que haviam filhos de Gloria de Campeão, Agnes Gold e Wild Event no páreo, reprodutores com bem mais aptidão neste tipo de distância.
 
No final, o que se viu foi a vitória do filho de Salto de nome Oberyn. Ele que sempre foi tido como um potro muito bom, mas que estava produzindo um pouco abaixo das grandes expectativas nele depositadas.
 
Acontece que ele, que corria mais atrás e na última nitidamente manheirou muito só embalando nos derradeiros metros, agora foi de antolhos, correu na carreira e deu uma ótima demonstração de aguerrimento e vontade vencer. 
 
Não creio que possamos dar ainda essa geração carioca como definida em termos de seu líder, mas gostei da forma que Oberyn se portou. Dizer que ele poderia perder para Rei do Camarote em mais alguns metros, ou que na sequência venha a ser derrotado por este me parece muito simples, na medida em que a atropelada do último demorou a embalar e talvez tenha se dado mais até pelo cansaço dos demais após muita briga entre os que vinham na frente. O tempo do páreo também foi bastante razoável (2:00:12), o que a julgar pela ação nos derradeiros metros dos animais faz presumir um ritmo inicial mais que honesto e a concluir que o ganhador se impôs de fato, ao menos neste ultimo domingo. Mas, como disse, a geração ainda está indefinida até este momento.
 
Outro fato interessante é o ganhador ser filho de Salto em égua Setembro Chove, reprodutor nacional que hoje já podemos assegurar que deixará sua marca em nossa criação. Seu pedigree, entretanto, no geral é um pedigree mais pra milha, de forma que vai ser interessante observar como se portará ainda em mais distância que os 2.000 metros. Seu pai Salto era um milheiro filho do velocista Pivotal e sua mãe Hazelberry uma flyer filha de um milheiro. Encontramos estamina em sua linha baixa mais a frente, inclusive por meio do infindável Clackson.
 
Veremos então como ele se portará em mais distância, agora de antolhos e correndo já mais próximo dos ponteiros, senão até na ponta.
 
Lembrando ainda que Oberyn veio a São Paulo disputar a Taça de Prata em Junho onde secundou a Dashing Court, sendo esta uma de suas 5 saídas às pistas, sendo que contra Jackson Pollock agora são duas vitórias e uma derrota. Sua única derrota na turma se deu ainda para o ótimo Nepal, ou seja, ele é um potro já experimentado contra os melhores de sua geração e que hoje parece ter encontrado sua melhor forma de correr.
 
Parabenizando pela vitória, mais uma em Grupo 1, ao treinador Luis Esteves, bem como ao jockey Henderson Fernandes, ao proprietário Stud Happy Again e ao criador Stud Chesapeak. 
 
 
Adolpho Smith de Vasconcellos Crippa