HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
JOLIE OLIMPICA BRAZILIAN CHAMPION 2YO - HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
NEPAL GAVEA´S CHAMPION 2YO - HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
Santa Maria DE ARARAS: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS ESTRELA NOVA

HARAS ESTRELA NOVA
Venha nos conhecer melhor no Instagram @haras.estrelanova.

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS FRONTEIRA

HARAS FRONTEIRA
HARAS Fronteira

HARAS CIFRA

HARAS CIFRA
HARAS CIFRA - HALSTON POR MARILIA LEMOS

HARAS IGUASSU

HARAS IGUASSU
HARAS IGUASSU A PROCURA DA VELOCIDADE CLÁSSICA - Foto de Karol Loureiro

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

sábado, 21 de novembro de 2020

PAPO DE BOTEQUIM. OUVINDO ABOBRINHAS E SEGURANDO BATATAS QUENTES

Sim meus fiéis e parcos leitores, na minha vida ouço muitas abobrinhas, resolvo muitos pepinos e com certeza sou obrigado a segurar muitas batatas quentes. Mas ninguém colocou um revolver em minha testa e exigiu que viesse a ser um analista do turfe brasileiro. 

Desculpem aos que assim não pensam, mas não está em mim ficar feliz quando critico, uma situação. Na verdade, sempre tento arma-las de forma construtiva, para que de alguma forma possa contribuir para uma melhora na situação discutida.

Como também, aceito bem as criticas que a mim são endereçadas, desde que elas estejam embasadas em defesas sólidas de pontos de vista e no caso do turfe, em números que sustentem a tese. Afinal, não estou isento de escorregar na maionese como qualquer um outro. Apenas que se isto acontecer, será certamente com muito menor frequência.

Este tríplice coroa paulista, na versão masculina, pode-se assim dizer que foi no mínimo "diferente". Vejam se estou exagerando.

A primeira prova  foi ganha por um cavalo que embora tenha alcançado o preço recorde das vendas da ABCPCC, foi vetado em seu exame veterinário e devolvido, mas que consagrou-se, sendo, até então, apenas vencedor do perdedor em Cidade Jardim. A seguir fracassou de forma mais do que significativa na segunda e terceira provas da mesma. Seu nome Lionel the Best.

Mas o mistério continua. A segunda prova foi ganha por um elemento que mesmo tendo o direito de correr o perdedor de Cidade Jardim, foi direto ao Ypiranga, onde foi terceiro colocado, consagrando-se a seguir, e assim obtendo sua primeira vitória no Jockey Club. Comentou-se a boca pequena, tratar-se possivelmente de um fenômeno. O mesmo que antes diziam daquele que havia vencido a primeira prova. Mas no Derdy sobreveio o fracasso. Seu nome Wil Myers.

E para deixar a situação ainda mais inteligível, o ganhador da terceira prova, havia corrido apenas uma vez, contra os mais velhos na areia do Tarumã, estreava em Cidade Jardim - onde também teria direito em disputar o perdedor - e surpreende a todos com uma aceleração final avassaladora. Quebrou seu Maiden no Derby, Seu nome Own Them.

Não poderíamos taxar esta tríplice coroa de no mínimo "diferente"?

Ao contrário da disputa entre as fêmeas, onde nitidamente temos uma líder, vencedora das duas últimas provas com atropeladas igualmente avassaladoras. E que agora vai par o Rio de Janeiro, aos cuidados de Esteves. A pergunta é simples. Você arriscaria a afirmar, quem é o verdadeiro líder, entre os machos, desta geração em Cidade Jardim? Eu não. A única coisa que tenho como certa, é que o Tarumã está suplantando Cidade Jardim em termos de treinamento, pois fez barba, cabelo e bigode. Com três distintos corredores.

E assim vamos a seguir para uma tríplice coroa carioca, que poderá vir a espelhar uma coisa completamente distinta, pois, no hipódromo carioca, este domínio paranaense não me parece tão sólido.

Oberyn, Rei do Camarote, Osprey, Olympic Kremlin e Jackson Pollock, foram os cinco primeiros colocados - nesta ordem - nos 2,000 metros do Grande Premio Linneo de Paula Machado. Serão eles os nomes da tríplice coroa carioca ou poderão todos serem suplantados por Own Them?

Não diminuo, nem discuto a brilhante vitória de Own Them, mas quem assistiu atentamente a carreira deve ter notado que minimamente melhor corrido, Olympic Kremlin, teria fatalmente vendido mais caro sua derrota. É um potro em altíssima evolução, e creio que possuidor do melhor pedigree entre todos os que aspiram e demonstraram até aqui, uma capacidade maior de disputar efetivamente a tríplice coroa carioca. Mudou a titularidade e agora virá a ser treinado pelo Esteves.

Não me permito criticar por criticar. Apenas penso que os fatos devem ser dissecados para melhor poderem ser entendidos. Seja na seleção de um garanhão, como na forma de um cruzamento e principalmente em análises de performances de animais em pista.

Eu acho que In Society é o nome a ser batido, na tríplice coroa carioca para fêmeas, embora na Gávea tenha que se levar em consideração, que a tropa de suas ex-companheiras de haras, sempre se mostra presente com mais ardor a esta época do ano. Entre os machos, arrisco afirmar que embora seja uma obra ainda em construção e consequentemente aberta, deverá ser mais difícil para Own Them provar a superioridade demonstrada no Derby paulista. De Olympic Kremlin tenho plena certeza, que terá mais dificuldade em vencer, e com pureza de alma não sei se mesmo evoluindo, este poderá exercer domínio, a Oberyn e companhia.