HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
AEROSOL, MESMO DEVOLVIDO PROVOU SER CRAQUE: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO
ONDE A VELOCIDADE IMPERA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA
HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA: VENCEDORES INTERNACIONAIS EM TRÊS CONTINENTES

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

domingo, 6 de novembro de 2016

MINIMO PAPO DE BOTEQUIM: A VACA JÁ ESTÁ ATOLADA AT\E O PESCOÇO

Afirmei que estavamos para assistir a uma das mais empolgantes Breeders Cup dos últimos tempos e creio que não me enganei, pois, fui testemunha ocular da história, de embates memoraveis no transcurso destes dois dias de disputa, E o mais importante, a meu ver, é que dois destes embates, os que mais me causaram prazer, foram,+ indubitavelmente, a Classic e o Distaff. Para mim, duas das quatro mais importantes carreiras da festa da Breeders Cup.

Arrogate, Beholder, California Chrome e Songbird, por si só fizeram juz, a aqueles que assistiram, como eu, a mais esta disputa, Tepin, Flintshire, Seventh Heaven estiveram a um fio de realizarem-se como grandes campeões que o são. Contudo, o mais importante de tudo, para os organizadores, foi casa cheia, alta audiência televisiva e muito jogo na pedra.  

Fico me perguntando porque o turfe brasileiro não pode ser assim, Evidentemente que não sonharia com algo tão grande, mas 20% disto já não quebraria um galho?

Estou no Brasil em trabalho de inspeção de potros e éguas da liquidação do TNT e de potros que serão vendidos ano que vem.  E em que peze a chuva estar assolando o Rio de Janeiro, a Gavea estava literalmente vazia. A maior concentração de publico, - umas 20 pessoas - estavam em volta de uma televisão, assistindo a um Flamengo e Botafogo.

Estão saindo mais criadores e proprietarios de nossa atividade, do que estão entrando. Isto não é uma opinião. Isto é um fato. Qual aquela cidade de mão única que acabou por perder toda a sua população, pois, quem foi, ficou impossibilitado de voltar. Temos que dar um fim a esta sangria, Temos que reagir, antes que seja tarde demais e viremos uma Colombia, onde esta atividade fechou as suas portas. Não quero dar uma de Nostradamus, mas a vaca já está atolada até o pescoço...

Nossos haras estão indo de vento e popa, com pastos exuberantes e com uma produção de cavalos digna de aplausos. Falta vontade apenas de jogar, de comparecer aos hipódromos e nada parece estar sendo feito para estancar esta perda constante de militantes. Estamos descendo a ladeira e o freio de nosso caminhão parece emperrado.

Ontem, um fato inédito. Duas provas graduadas, mudaram da grama, para a areia. Qual o indice de classicismo poderemos usar de seus resultados? Quem tomava a ponta ganhava, pois, ninguém passava ninguém. Isto aumenta o desanimo e agrava o pessimismo.

Nunca vi o turfe brasileiro como algo que pudesse cair tanto, como vem caindo de uns anos para cá. Quem ficou, merece todo o meu crédito. Acho que falar de enterros é uma coisa mórbida, prefiro festas, mas não está sendo uma festa o que estamos sendo obrigados a presenciar atualmente.

Aos que se mantém na atividade, meus mais efusivos agradecimentos. Aos que estão partindo, por razões multiplas, que não cabem aqui ser descritas, meu muito obrigado, por um dia ter participado. O turfe é a minha vida, mas parece que não devo ir muito longe.