HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
AEROSOL, MESMO DEVOLVIDO PROVOU SER CRAQUE: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO
ONDE A VELOCIDADE IMPERA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA
HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA: VENCEDORES INTERNACIONAIS EM TRÊS CONTINENTES

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

sábado, 31 de dezembro de 2016

PAPO DE BOTEQUIM: BRASIL E O TURFE, UMA OBRA WAGERIANA,

Estamos a horas do temino de mais um ano. Um ano dificil tanto para o Brasil, como para o turfe brasileiro, como frizei no Ponto Cego de hoje.  E a meu ver, não foi para menos. O que foi feito no Palácio do Planalto e em Cidade Jardim, parecem ter algo, bastante em comum. Falta de governabilidade. Pulso, zero!

Antes de mais nada, quero deixar claro, que o Brasil é de uma complexidade somente comparável, apenas, a uma obra Wagneriana. Muita beleza e pouca utilidade. Nosso turfe, é ainda pior, pois tem este mesmo grau de complexidade, e não detem sequer, os acordes primorosos que tanto marcaram a obra deste compositor.

Precisamos, tanto o Brasil como o nosso turfe, de uma revisão de cenários. Uma mudança de ritmo. Uma vergonha na cara. Aquele bordão de querer levar vantagem em tudo, está prestes a ser abolido de forma definitiva. Pelo menos em Brasilia, onde parte pequena do problema começou a ser saneada, graças a intervenção de algo bem nominado de Lava Jato e por incrivel que possa parecer, pelas delações premiadas daqueles que nos ajudaram a afundar no cenário internacional: as grandes empreiteiras. 

Saiu a canastrona, foi desnudada a corrupção levada a efeito por alguém que se julgava a alma mais pura de nosso território, o AMIGO. E pouco a pouco, a coisa vai tomando o seu rumo. Não no ritmo que gostaríamos de ver, mas pelo menos numa balada de realidade, onde as pompas e circunstâncias criadas neste 13 últimos anos, de descalábrios, não mais colam. Afinal foram exatamente elas que nos levaram ao buraco negro em que nos encontramos. Espero apenas que frases repetidas, de Nunca na história deste pais,..sejam extirpadas definitivamente de nosso dicionário politico.

Mas quem na realidade inventou esta canastrona? Na era Alceu Colares, assumiu a Secretaria Municipal do Tesouro Gaucho (1985 a 1988); a seguir a Secretaria Estadual de Energia, em dois períodos (1993 e 1994 e 1998 a 2002). Na era Lula, foi Ministro da Energia (2003 a 2005); a seguir Chefe da Casa Civil (2005 e 2010); e finalmente Presidenta do Brasil (2011 a 2016). Cargo interrompido pela lucidez de grande parte do povo brasiliro que foi as ruas pedindo seu impeachment. Agora me pergunto. qual a qualificação que esta senhora, que nem sindica de seu prédio conseguiu ser, tem para assumir estes cargos? Um milhão pela sua opinião!

Vivemos estes últimos treze anos, e principalmente os últimos cinco, um filme de terror, irresponsabilidade, regado a uma corrupção instituonalizada cujas proporções, são hoje vistas, como a maior da história da humanidade. Países como a Suiça e os estados Unidos, demonstram que a safadeza extrapolou as fronteiras, fisicas e da realidade. E tudo isto porque? Por culpa nossa que fizemos um torneiro mecânico assumir um cargo que não tinha a capacidade de assumir e a seguir, uma senhora que nunca eleita, até então para nada, ali foi colocada qual um poste sem luz, com o único intuito de esquentar o trono que novamente viria a ser ocupado, por aquele que se julgava a mais pura alma de nosso pais.

Porém tenho a nitida noção que foi exatamente em 2014, ano que reelegemos a aquela senhora, . não é, pois, esta culpa não carreigarei para o tumulo - que assinamos definitivamente o atestado de óbito, de nossa previsibilidade e credibilidade perante o mundo, que nos cerca, e que segundo um profeta de botequim, não nos afetaria com suas marolinhas de crises econômica mundiais.

A imprevisibilidade de nosso turfe, realmente me apavora. Enquanto no Brasil, razões populistas e demagógicas, nos levaram a uma politica de crescimento por meio de um modelo calcado no incentivo ao credito e consumo, e que como o esperado pelos lúcidos, decretou o endividamento de um povo que hoje não tem outra saida a tomar, do que a inadimplência, no turfe, principalmente o de São Paulo, não adotamos modelo algum. Deixamos simplesmente rolar. A vaca estava bem nutrida e muito leite haveria de jorrar. Mas ele secou...

Hoje tirar o craque e vende-lo ao exterior é a única solução. Mas como, se estamos ainda vivendo a era do mormo e da pyro? Tirar o craque, deixou de ser o problema. Passar nos exames laboratoriais e radiológicos, creio que sim. Pergunto-me,  não haveria uma forma de erradicar estas doenças de nosso território? Sei que acabar com carrapato não deve ser uma tarefa fácil. Nem com carrapato nem com politico corrupto no Brasil. É só querer, Mas ao mesmo tempo fico dando traços a bola, porque em Miami, onde moro, não vejo moscas? Qual o milagre? Será que elas só falam português? Gostam do samba? Torcem pelo Flamengo?

Tudo no mundo tem uma solução. Até o congresso brasileiro pode ser saneado. Então porque não erradicamos este carrapato? Seriam nossos principais haras sujeitos por decreto divino a esta privação?

Gosto de imaginar que 2017 irá ser melhor que o 2016. Isto me faz acreditar que vale a pena viver. Mas o turfe brasileiro, não está me dando esta impressão. Até o Brasil, pode vir a melhorar, outrossim quanto ao turfe, nos moldes hoje geridos, juro que tenho lá as minhas dúvidas. E um céu muito nublado...