HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
AEROSOL, MESMO DEVOLVIDO PROVOU SER CRAQUE: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO
ONDE A VELOCIDADE IMPERA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA
HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA: VENCEDORES INTERNACIONAIS EM TRÊS CONTINENTES

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

PONTO CEGO: O QUE REPUTO UM INDICE DE CLASSICISMO

Sempre escrevo que opinião é que nem nariz. Cada um tem a sua em diferentes formatos e tamanhos.

Outro dia, ao me reportar sobre Momento de Alegria, disse ser ele o oitavo filho de Refuse to Bend a ganhar prova de grupo. Eu estava errado. Meu erro foi notado pelo Adolpho Smith de Vasconcellos Crippa, que estava certo. Ele foi o nono. O que importa, é que Refuse to Bend, o melhor filho de Sadlers Wells - pelo que fez em pista - que tivemos em nossa criação, foi massacrado por aqueles que não tinham interesse que São Paulo tivesse dois reprodutores de porte ao mesmo tempo. Chegaram a o tratar de Refuse to Win. Ledo, engano.

Mas o castigo normalmente vem a cavalo, diz o dito popular, e este como era de se esperar veio, pois, entre os reprodutores que só vieram em sistema de shuttle e aqui ficaram por mais de uma temporada, Refuse to Bend só veio a perder, em termos de indice de classicismo, para Royal Academy, um cavalo suportado pelos mais importantes criadores de Bagé, e trazido a preço de ouro.

Com os seis reprodutores que estiveram em serviço no Brasil, no sistema de shuttle, por duas ou três temporadas, e cujos filhos já completaram 3 anos de idade em campanha, podemos anotar o seguinte quadro.

Royal Academy (2001 e 2002) com 184 produtos registrados e 16 individuais ganhadores de grupo; 

Northern Afleet  (2008-2009 e 2010) com 261 produtos registrados e 15 individuais ganhadores de grupo; 

Elusive Quality (2010 e 2011) com 220 produtos registrados e 13 individuais ganhadores de grupo; 

Sulamani (2008 e 2009) com 184 produtos  registrados e 10 individuais ganhadores de grupo;

Refuse to Bend (2011 e 2012)  com 142 produtos registrados e nove individuais ganhadores de grupo

Shirocco (2011-2012 e 2013) com 249 produtos registrados e sete individuais ganhadores de grupo.

Em minhas pesquisas pessoais, o indice de classicismo de cada um destes reprodutores, que no Brasil serviram em dois ou três anos, é o seguinte:

Royal Academy - 8,69%
Northern Afleet - 5,74%
Elusive Quality - 5,90%
Sulamani - 5,43%
Refuse to Bend - 6,33%
Shirocco - 2,81%

Foi certamente o mais importante filho de Sadlers Wells que tivemos em nosso breeding-shed, já que Crimson Tide, em 12 fornadas, gerou a 495 produtos registrados (sem contar sua geração de 2014) e um total de 15 individuais ganhadores de grupo, o que lhe confere um indice de classicismo, de 3,03%.

Cada um pode estabelecer o indice que mais lhe convier. Eu tenho os meus. Os outros podem ter o que quiserem. Para mim, dentro do Brasil, o que vale são os vitoriosos em provas de grupo e o percentual deles em relação aos produtos registrados, em gerações com cavalos correndo aos três anos.

Torna-se evidente que com o complemento das campanhas dos nascidos em 2012 e 2013, os numeros de alguns reprodutores, há de melhorar. Outrassim, não algo que suponho que possa ser significativo.

Para mim, um reprodutor em serviço no Brasil que tenha mais de 6% de aproveitamento clássico, é um cavalo que serviu a seus propósitos. Outros podem pensar diferente. Cabe o leitor, criar a sua própria metodologia.