HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
AEROSOL, MESMO DEVOLVIDO PROVOU SER CRAQUE: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO
ONDE A VELOCIDADE IMPERA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA
HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA: VENCEDORES INTERNACIONAIS EM TRÊS CONTINENTES

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

PAPO DE BOTEQUIM: A TRANSCENDÊNCIA DA MATÉRIA


Selecionei cinco potros no Brasil, que completaram, em Julho três anos hípicos e é com muito orgulho que vejo dois deles, inscritos na primeira prova da triplice coroa carioca. Se vão ganhar? Não sei. Se vão correr bem? Provavelmente. Para mim o que importa é a felicidade que seus proprietarios irão ter de ver seus pupilos disputando tão importante prova.

English Major, foi o melhor dois anos da geração, acudentou-se, e volta depois de longa inatividade. Já provou ter classe e vai estar lá nos metros derradeiros em que peze a provavel falta de aguerrimento qu poderá acontecer. Eu espero que ganhe. Se tiver que perder que seja para Empavado, que está cada dia melhor, e como tem um pedigree tardio, pode ser que tenha nesta prova o oásis de sua existência. É uma cadeira encardida e espero que o melhor vença. Se for um dos dois que citei anteriormente, melhor ainda. Nas vamos a outro assunto.

Pelo que sinto, muitos dos que aqui comparecem nos homenageando com sua audiência, são de um período pós-diluviano. Eu vi Noé encher a sua balsa, logo, posso parecer saudosista em várias oportunidades. Mas na verdade não sou e muito menos gosto de comparar cavalos e situações no turfe. Outrossim, existe algo, que na minha humilde opinião não muda nem com o passar dos séculos. Aquela que afirma, que uma pessoa pode fazer a diferença.

A luz de uma vela, pode não iluminar um estádio, mas se ela for o começo de algo, e várias outras a seguirem, a luz inundara o campo.
Jesus fez uma diferença. Hitler outra. Como carioca que sou, vejo Castor de Andrade, como um marco, tanto no futebol, quando nas escolas de samba. Quem não se lembra de seu Bangu e de sua Mocidade de Padre Miguel? E Lula, em nosso periodo mais organizado em corrupção em nossa história como pais, pode encher a boca e bramir, que nunca na história deste pais.... Pois é, uma diferença pode ser para o bem ou para o mal e também não se limitar a um tipo de situação.

Por isto me sinto vacinado de situações de pessoas que fazem uma diferença e confesso em meu parco acompanhamento de Superbowls, que nunca vo, algo como o acontecido entre os Patriotas de Boston e os Falcons de Atlanta. Na televisão, onde os experts sempre usam de estatísticas para provar  mesmo situações inusitadas, ouvia-se a cada segundo: Nunca em um Superball, alguém que perde o primeiro tempo por 18 pontos, conseguiu virar e ganhar. Nunca o Superbowl, foi para uma prorrogação depois de um empate. Nunca um quarterback venceu esta competição em cinco oportunidades. Pois é, Bradley e seus Patriotas provaram que uma pessoa pode fazer a diferença, e unir um grupo de outras. em função de uma causa em comum.



É o que precisamos no turfe: desta pessoa.

Volto a repetir, estou vacinado na grande maioria das surpresas que o turfe pode lhe trazer. Porém, de vez em quando. ainda sou supreendido com algumas atuações e cavalos que por si só são, em minha opinião capazes de fazer uma diferença. Arrogate e Frankel, são os últimos que me causaram uma sensação distinta. E vou ser sincero, mesmo vencendo uma carreira que considerei fraca, tanto em qualidade como em quantidade, Unique Bella me fez sentir algo distinto. Algo, que apenas corroborou um sentimento inicial que senti por ela, quando a vi quebrar o seu maiden em Del Mar, por mais de 10 corpos numa prova de 1,300 metros. Era apenas sua segunda carreira e ela que havia sido segunda colocada em sua estréia, na distância de 1,000 metros, reapareceu no Santa Inez (Gr.3) e deu outra demonstração de superioridade batendo suas rivais por quase 8 corpos na distância de 1,400 metros.

Parecia a mim, que com o avançar da idade e da distância ele deveria manter seu dominio, contudo, ela voltou a me surpreender no las Virgines (Gr.2) em Santa Anita, com outra atuação de gala. Ela que foi a champion 2yo, penso que poderá ser a champion 3yo, pois seu pedigree além de extraordinãrio, possui uma forte concentração de elementos staminados.

Disse aqui que poucas são as surpresas que o turfe me trás, ºprém o número de extraordinárias éguas que o turfe do hemisfério norte está nos brindado, nestes últimos anos, me parece surpreendente. De um lado Zarkava e Treve. De outro Beholder, Songbird, Rachel Alexandra e Zenyatta. Assim sendo, com toda a sinceridade, diria, que para uma potranca me fazer arregalar os olhos, ela tem que vir com algo, quase transcendental. E Unique Bella, me trouxe neste último fim de semana, a transcendência da matéria.



Reparem, que ela seguiu um trem impetrado por uma adversária de 22"88, e demonstrando não estar satisfeita de estar sendo "parada" por Mike Smith, ela mesmo estabeleceu parciaIs a partir dali de 45"62 e 1'10"27. E o fazia apenas galopando, sem demonstrar sequer estar tentando. Na reta deu outra demonstração de não respirar o mesmo ar de suas adversárias e estabeleceu para uma milha que a meu ver não foi sequer corrida, de 1'35"66.

Não sou um escravo do cronometro, embora Arrogate esteja - a cada corrida - quase me fazendo mudar de idéia, mas sinto que esta potranca quando um dia for exigida, irá meter o tempo que seu jóckey determinar. Como Arrogate, ela faz as coisas de uma forma profissional e simples. Sem volteios.

De há muito considero Jerry Hollendorfer um treinador de primeiríssima linha. Mas ele também vem me surpreendendo ano após ano inicialmente com Shared Believe, seguido por Songbird e agora por este vulcão em forma de potranca, chamada Unique Bella.

Ela e Arrogate, para mim, são os dois mais importantes animais em treinamento nos Estados Unidos nesta temporada recém iniciada. Ambos são tordilhos e ambos tem em comum algo chamado Unbridleds Song. Poucos tem noticia que selecionei para o nunca esquecido, - pelo menos por mim - Pedro Jarbas, a uma irmã materna de Unbridleds Song. La Narhs era seu nome. Porém, não é apenas o fato de serem tordilhos e descendentes de Unbridleds Song, as unicas "coincidências" entre estes dois grandes competidores.

Eles possuem pedigrees calcados no dirt e ambos descendem de ganhadoras de provas do festival da Breeders Cup, Unrivaled Belle e Meadow Star