HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
AEROSOL, MESMO DEVOLVIDO PROVOU SER CRAQUE: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO
ONDE A VELOCIDADE IMPERA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA
HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA: VENCEDORES INTERNACIONAIS EM TRÊS CONTINENTES

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

sábado, 29 de abril de 2017

PONTO CEGO: NÃO SERIA HORA DE SE ACREDITAR?

Foi me anotado, por dois leitores, que ando falando muito sobre Seattle Slew. Pois bem, os dois que assim o afirmam estão cobertos de razão. Mas explico- me: como não vi Secretariat correr ao vivo e a cores, Seattle Slew, foi para mim, o maior cavalo norte-americano, que tive o privilégio de acompanhar, tanto em sua vitória em Churchill no Kentucky derby, como em sua injusta derrota em Belmont Park, para Exceller. Foi também um grande reprodutor e tem em A. P. Indy seu segmento de maior significância.

Penso que Seattle Slew, Deputy Minister e Mr. Prospector, vieram para substituir, Bull Lea, Dominó e Rough´n Trouble, naquilo que o povo mais ama, o dirt na distância média, os 2,000 metros. penso que quizer correr nos estados Unidos, tem que ter estes três chefes de raça em mente. Meus três ultimos investimentos para proprietarios brasileiros nas vendas de lexington, eram filha de Sky Mesa, Take Charge Indy e Congrats. Todas descendentes de A. P. Indy, evidentemente para correr onde haja dirt. Pois, são nestas condições onde eles apresentam suas melhores performances.

Vejo no Brasil, filhos(a) de reprodutores produtores de grama e de distâncias mais alentadas, iniciarem suas campanhas na areia e em distâncias curtas. Isto pode não afetar diretamente ao craque, pois, este excede qualquer situação. Mas quantos são aqueles que se perdem, por iniciar na trilha errada?

Um cavalo que chega ao maximo de sua potencialidade, não é apenas produto de seu pedigree e de sua criação. Ele é igualmente produto dos profissionais que o atendem e aos proprietarios que formam a sua equipe.

O craque se faz craque, quando o utero da égua é fecundado. Dai para frente você só pode perder o craque ou mante-lo. Nunca cria-lo via alfafa e bom trato. Quantas vezes vocês já leram isto em meus textos? Não seria hora de se acreditar?