HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL

HARAS SANTA RITA DA SERRA - BRASIL
HARAS SANTA RITA DA SERRA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS REGINA

HARAS REGINA
HARAS REGINA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO

HARAS FIGUEIRA DO LAGO
HARAS FIGUEIRA DO LAGO - São Miguel, São Paulo

STUD H & R

STUD H & R
STUD H & R - TOQUE NA FOTO PARA VER UM UM GP. BRASIL QUE VAI FICAR NA HISTÓRIA

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS

HARAS SANTA MARIA DE ARARAS
AEROSOL, MESMO DEVOLVIDO PROVOU SER CRAQUE: TOQUE NA FOTOGRAFIA E VENHA CONHECER O BERÇO DE CAMPEÕES

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO

HARAS SANTA TEREZA DO BOM RETIRO
ONDE A VELOCIDADE IMPERA - CLIQUE NA FOTO PARA CONHECER NOSSO PROJETO

HARAS NIJU

HARAS NIJU
toque na foto para conhecer nosso projeto

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA

HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA
HARAS SANTA LUZIA DA ÁGUA BRANCA: VENCEDORES INTERNACIONAIS EM TRÊS CONTINENTES

albatroz bloodstock agency, Inc.

albatroz bloodstock agency, Inc.
albatrozusa@yahoo.com

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

A VOZ DO POVO É A VOZ DE DEUS ATIRE A PRIMEIRA PEDRA:

Li em algum lugar que nossa ancestralidade genômica em relação ao indio que povoava nossas terras quando do descobrimento, está ainda na casa de 4 a 8%. No turfe eu acho que ela triplica, dada, as credices que leio em minha caixa de emails. Confesso que temos muitas coisas boas dos indios. O fato de tomarmos regulamente banho não me parece vir de nossa igualmente decendência européia. Mas no turfe, uma grande parte de participantes ainda vive dos sinais captados por fumaça e trata de assuntos genéticos importantes com um tacape.

Até o cacique dos Temiminós, vulgo Araribóia, o fundador de Niterói, parecia ter mais inventiva que muitos de nossos turfistas, que criticam sem ter as mãos os dados que realmente tangem uma realidade. Fiquei alarmado com uma nota saida na Folha sobre a atual situação financeira vivida pelo Jockey Club de São Paulo. São dados sobre o saldamento de dividas e o que ainda tem que ser saldado para sanear de uma forma definitiva a situação de um clube que conta atualmente com pouco mais de 600 sócios. Sou do tempo que haviam 8,000 e Cidade Jadim era um brinco.

É muito fácil se malhar um Judas, quando este Judas está por baixo. Não sei por que aqueles que atualmente regem os destinos do clubr, lutaram pelo poder de decisão, já que diretorias passadas simplesmente deixaram a entidade ir para o brejo. A atolaram de tal maneira, que o retono ao campo parece irreal.

O que é apresentado na Folha me entristece e deveria entristecer a todo aquele que ama esta atividade. Não creio que jogar pedras seja a melhor solução. Irá inevitavelmente afundar com um barco que já está adernando. Sei que é dificil quando está no lado devedor, aguentar com a barra. Mas o que há de se fazer?

Abaixo está o link da matéria. Tenham a piedade de ler primeiro e constatar o legado que foi deixado para a atual diretoria. E depois tirar as suas próprias conclusões. Se for atriar a primeira pedra, que seja...eu prefiro tentar ajudar a me utilizar de um tacape.

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/08/endividado-jockey-de-sp-da-desconto-e-se-desfaz-de-patrimonio-milionario.shtml?utm_source=whatsapp&utm_medium=social&utm_campaign=compwa